quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Cinegay: O Talentoso Ripley


O Talentoso Ripley é um dos meus filmes preferidos de todos os tempos. Top 10 absoluto na minha lista pessoal, um daqueles com lugar cativo na estante, mesmo que eu jamais volte a assistir. Baseado no livro de mesmo nome da escritora Patricia Highsmith (lésbica assumida), embora não tenha sido a primeira vez que a obra foi adaptada às telonas (a primeira versão, de 1959, que recebeu o nome de "O sol por testemunha" foi dirigida por René Clémente e tinha Alain Delon no papel principal), é sem dúvida alguma a mais fiel ao texto original.
.
Se no primeiro filme praticamente toda a carga homossexual do Ripley foi tirada do personagem, na versão de 1999, dirigida por Anthony Minghella, está tudo lá, sem medo de ser feliz... é claro que resumir o filme ao lado gay da força é errado, mas deixá-lo de lado é uma opção igualmente infeliz. De modo geral, não gosto muito dos filmes em que a homossexualidade é o foco e único assunto, prefiro aqueles em que ela aparece, mas há uma história além dela para ser contada.
.
Há outros filmes com a figura de Ripley, entre eles "O Amigo Americano" (do alemão Wim Wenders) mas nenhum deles me agradou tanto quanto este. Tom Ripley (interpretado por Matt Damon) é um daqueles personagens cheios de nuances, ao mesmo tempo vilão e herói, um golpista sem escrúpulos e um cara sensível, capaz de amar e odiar a mesma pessoa com igual intensidade.
.
Sem entregar muito do filme, ele conta a história de Ripley, um jovem mandado à Itália para trazer de volta o filho de um empresário. Lá chegando, ele se torna amigo do cara (interpretado por Jude Law), e mais do que isso, passa a se interessar não só pela vida de playboy que ele leva, mas pelo cara em si. Contar mais estraga a surpresa, já que o roteiro é muito bom. Cai um pouquinho no final (se comparado ao livro), mas ainda assim é um zilhão de vezes melhor do que a média dos filmes de hoje.
.
Fiquem com um clipe da trilha sonora do filme, a canção My Funny Valentine, cantada pelo próprio Matt Damon. Pena que a edição do clipe deu uma escamoteada e não deixe claro para quem ele está cantando a música...

A trilha sonora toda é muito boa - também está na minha estante - tem Sinéad O'Connor, Charlie Parker, Miles Davis, Dizzy Gilespie...

2 Comentários:

Wans disse...

Também adoro esse filme. Mas foi feito numa época em que os atores não arriscavam mais. Tom Hanks não beijou Antonio Bandeiras em Philadelfia e Mat Damon tb estava muito contido. A cena da banheira é maravilhosa!

Junnior disse...

Assisti 2 x.
Muito, muito bom.
Abraços.
Junior.

Postar um comentário

BLOG ENCERRADO!

We Love It:

We Love It:

Seguidores:

DPNN no Facebook

Twitter:

  ©Dois Perdidos Na Noite - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo