quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Dois Perdidos na Sauna Gay


Logo quando a gente começou, maridão me disse que morria de curiosidade de ir a uma sauna gay. Eu, que pra ser um bom republicano só falta um rifle, fui logo dizendo que comigo não, violão. Se quisesse, teria de arrumar outro namorado. Passamos um bom tempo com essas discussões, eu acabei vencendo e o assunto morreu. Certa noite, estávamos tomando algumas num bar e ele me veio com a sugestão: "ouvi falar de um local ali na Av. São João que tem três ambientes, um bar no térreo, salão de jogos segundo andar e um terceiro que eu não lembro, acho que é pista. A gente podia ir lá pra você colocar no blog". Como estávamos ali perto, concordei que fôssemos.
.
O tal lugar se chamava Paradise For Men Club e Show Bar. Logo na entrada, uns balões brancos decorando junto a uns bambus. Nenhum nome, nenhuma placa. Parecia uma festa proibida como a do filme “De Olhos Bem Fechados” (fica a dica). Entrei meio cabreiro. Lá dentro era um corredor meio estreito. Algumas mesas tomavam conta do espaço, que estava bem cheio. Passamos por um gogo-boy nu - momento para fechar os olhos do marido e lhe dar um beliscão -, num palco outro tirava a roupa - maridão tapa os meus olhos e me dá um murro no braço. No som, dance music, mas todos permaneciam sentados. Fomos para o segundo andar. Lá estava mais vazio. Algumas mesas de sinuca, pessoas sentadas nos cantos. Perguntei sobre o terceiro andar e o maridão informou que estava fechado. Descemos de volta ao bar, para beber algo.
.
Maridão estava meio deslocado, era visível. O público ali no ambiente lembrava os primeiros filmes do Almodóvar: um pessoal mais velho, na casa dos 60, uma molecada na casa dos 20 e poucos, muitos travestis, algumas drags. Maridão continuava deslocado. Todo mundo olhava na nossa cara. Não só na nossa cara, diga-se. Sensação de "somos carne nova no pedaço". Abracei o maridão, sentamos no bar e pedimos uma cerveja. O barman era outra figura. Ficamos conversando sobre amenidades para distrair e quebrar o climão, e não sei como, mas a conversa foi parar em algo bizarro como "a pinta da Angélica" (tá, estávamos bêbados). Então comentei sobre uma pinta que tenho no lado esquerdo do abdome (the boy with the thorn in his side), e o maridão quis ver. Ingênuo que sou, levantei a camisa pra mostrar. Um cara que estava do nosso lado quase arrancou a pinta com os olhos, e maridão, percebendo - e marcando território - abaixou e deu um beijo na minha pinta. Na minha pinta, ok?
.
Ficamos lá por pouco tempo, saímos e fomos beber em outro lugar. Na saída, maridão confessou: no terceiro andar era uma sauna, e ele não me dissera antes porque sabia que eu não iria nem querer entrar. Mas no fundo ele também viu que sauna gay não seria o harém de saradões que ele pensava... e, pelo menos na parte que conheci, também não era a orgia institucionalizada que eu pensava.
.
Sempre que passamos ali na frente nos lembramos do episódio e rimos da situação. Voltaremos lá outra noite dessas para ver se agora temos outra impressão do lugar. E, obviamente, não subiremos ao terceiro andar...
.
.
Ps. Apesar de todo meu vodu, não tivemos nenhum incêndio por aqui em SP e neste exato momento maridão está lá se deliciando em meio a uma orgia de bombeiros sarados e de mangueira em mãos. Tá, minha imaginação provavelmente é melhor do que a realidade, mas se ele comentar qualquer coisa além do aceitável vocês terão um casal gay a menos neste mundo virtual... Sim, eu sou ciumento pra caralho e assumo isso sem o menor drama. Maridão não pode falar nada, ele também é ciumento, mas disfarça melhor (ou, como eu costumo dizer – e ele discorda, eu dou menos motivos...) . Eu faço questão de manter meu ciúme fora do armário... Por mim, todos teriam o direito de andar com uma metralhadora HK-21 na nécessaire para sacar toda vez que uma bicha desavisada desse em cima do seu marido. Meu lado republicano fala mais alto nestas horas...

14 Comentários:

Aline Camargo disse...

Oi, querido! Caramba, que mancada minha... Ontem eu li um comentário seu no blog do Edu, e fiquei pensando: "nossa, faz tempo que ele não faz post..." Aí fui ver minha lista de blogs e me dei conta de que eu não havia linkado o seu blog ainda! Por isso que eu nem voltei mais aqui. Enfim, problema resolvido!!! Me aguarde, voltarei à ativa por aqui, rsrs...

Adoro Smiths também, e muito interessante esse seu relato. Cara, eu tb sou bem ciumenta, no seu lugar teria feito o mesmo, heheh...

Abração!

S.A.M disse...

Poxa eu admiro pessoas que resolvem tudo na maneira mais prática! rs

Eu ja fui num lugar desses com um amigo e serviu mais pra rirmos que qualquer coisa... faz parte do mundo de SP né?

Adorei o relato! rs

Mas muita gente esperará orgias libidinosas super populacionais pode acreditar! rs

Beijopros2

Paulo Braccini disse...

Sempre tive curiosidade para conhecer aquele local e sempre me faltou coragem ... depois deste "supimpa" [#Edumoments]relato decidi q, em próxima estada em sampa irei conhecer o espaço ...

bjux

;-)

FOXX disse...

eu acho ciúme fofo
mas tem horas q ele toma o controle da situação
e ai, fode tudo!

FOXX disse...

ps: sauna é de boa, relaxa e curte de uma proxima vez

Junnior disse...

Ainda vou tomar uns 'goró' e me enfiar numa sauna...

Diego Hatake disse...

Eu nem sei se na minha cidade existe sauna... E pra ser sincero não tenho mais tanta curiosidade em visitar uma agora, isso só acontecia quando era mais novo. Agora me interessaria mais uma livraria gay, sem querer fazer o tipo pedante.

Ricardo Aguieiras disse...

No tempo em que eu tinha um maridão, há uns 40 anos atrás, a moda entre os gays antenados era o tal "relacionamento aberto", junto com o paz & amor; o William Reich; a droga máxima era o lSD e tinha uns hippies fanáticos bem bonitões, fazíamos todos "macrô" não é tricô e nem cocô...rsrs), abreviatura linda para macrobiótica, a gente ia nas saunas, como na belíssima For Friends , onde a já coroa loiraça Jô nos dava um excelente atendimento e todos eram felizes, lá dentro...
Depois que meu maridão foi embora com um lindão artista de cinema é que eu comecei a questionar esse troço de "relacionamento aberto'... fui testando vários outros tipos bem definidos de relacionamento e cheguei à mais sábia conclusão: nenhum presta! aí, fiz operação para voltar a ser virgem e para engrossar mais o pau, que já era grande. E fui à luta. Hoje, mesmo muito velha, posso dizer que não me arrependo e aproveito bem a vida.
Beijos,
Ricardo
aguieiras2002@yahoo.com.br
http://dividindoatubaina.wordpress.com/

Wans disse...

Eu nunca fui a uma Sauna. Não por ciúmes, ma spor vaidade. Sou baixinho e gordinho. me sentiria ridículo. Imagino que seja que nem seu marido, vários sarados e tal. Adoraria ir c/ melo tomar uma cervejas com vcs. quem sabe um dia, já que o casal não sai do virtual.

bjão!

Wans disse...

Meninos, seguinte, tô tentando pegar o código dos banners para colar no meu blog, mas não tô conseguindo. Please, uma help seria ótemo!

bj

Abapha! disse...

Só de ouvir a palavra SAUNA arrepia as minhas paredes vaginais... Antes de operar eu ia bastantchy em sauna e fazia uns atendjimentos $$$ bem dignos lá...
Eike Delícia! Eike Saudade!
MuaaaH

loveandglamour disse...

Eu sempre quis ir a uma sauna! Deve ser bem legal! Hahah

Marcos Freitas disse...

Eu já fui com o meu ex, como fui o primeiro namorado dele e ele não conhecia nada, não achei justo e melhor ele ir comigo do que ir sozinho.

Anônimo disse...

Que blog, escritor e post idiota !!!

Postar um comentário

BLOG ENCERRADO!

We Love It:

We Love It:

Seguidores:

DPNN no Facebook

Twitter:

  ©Dois Perdidos Na Noite - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo