sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Diferentes dos Outros

"Diferentes dos Outros" (Anders als die Andern) é o título do primeiro filme a abordar a questão gay - como tema principal - de que se tem notícia. Ele foi lançado no distante ano de 1919, na Alemanha. Dirigido por Richard Oswald, o longa ficou pouco tempo em cartaz nos cinemas, pois foi proibido - com base no Parágrafo 175 do código penal alemão, que considerava a homossexualidade crime – e teve todas suas cópias destruídas no ano seguinte. Para nossa felicidade, uma versão resumida do filme foi preservada, num total de 16 minutos, e hoje está guardada no Stadtmuseum de Munique, como um documento de época.
.
A seguinte fala, proferida pelo personagem do médico, mostra o quanto o filme estava à frente de seu tempo:
.
"Você não deve condenar seu filho porque ele é homossexual, ele não é culpado por sua orientação . Não é errado, nem um crime. Na verdade, não é mesmo uma doença, mas apenas uma variação bastante comum em toda a natureza."
.
Achou pouco? Que tal:
.
"Amor por alguém do mesmo sexo não é menos nobre do que por alguém do sexo oposto. Esta orientação pode ser encontrada em todos os níveis da sociedade, e entre pessoas respeitadas. Aqueles que dizem o contrário só se baseiam na ignorância e na intolerância".
.
O longa conta a história do violinista Paul Körner, um renomado vionilista gay. No filme, Körner luta para aceitar sua condição, tenta se "curar", se apaixona por um aluno, passa por bons apuros quando é chantageado e vai parar no tribunal... no qual o juri decide a seu favor! Não se esqueçam de que o filme foi lançado em 1919!Quando a notícia vem a público, a sociedade se escandaliza e, totalmente arruinado, o violinista acaba cometendo suicídio.(contei o final do filme – mas não faz diferença, vocês não poderão ver mesmo...rs...).
.
Com o suicídio de seu amor, o jovem aluno pensa em se matar também, mas escuta do doutor as seguintes palavras, quase proféticas, se pensarmos que a Segunda Guerra Mundial tomaria conta do mundo algumas décadas depois:
.
"Você tem que continuar a viver, viver para mudar os preconceitos dos quais este homem foi uma dentre inúmeras vítimas. Deve recuperar sua honra e fazer justiça a ele, a todos aqueles que vieram antes dele, e todos que virão depois. Justiça através do conhecimento!"
.
Sou fã número zero do cinema expressionista alemão e acho que eles foram os maiores e mais inovadores cineastas de todos os tempos, fazendo arte de primeira com os parcos materiais disponíveis num período de vacas anoréxicas na Europa. Conrad Veidt, que estrela "Diferentes dos Outros", tornou-se mundialmente conhecido por sua atuação no clássico dos clássicos "O Gabinete do Dr Caligari", uma das maiores obras primas da sétima arte.
.
Uma pena mesmo que o filme tenha sucumbido à intolerância, restando apenas o roteiro e trechos da película. Das cenas "sobreviventes",devidamente restauradas, vale a pena conferir o video logo abaixo, que dá uma bela mostra do conjunto da obra.
.

.
Bom final de semana a todos! Divirtam-se sem moderação!

11 Comentários:

Ma disse...

Que achado, e que roteiro ! hehe

Quanto a me conhecerem... minha vida é mais em Santo André, vou as vezes pra sp mas não sempre, hehe

Abs

Billycious Böy disse...

O filme foi proibido porque a homossexualidade era considerada crime? Então, naquela época, não se podia mostrar nenhuma espécie de crime no cinema?

DPNN disse...

Billycious Böy

Poderia mostrar crimes, é claro. A questão é fazer 'apologia ao crime', já que o filme era claramente pró-gays. Mostrar um crime no cinema deixando claro que é errado era possível, é claro.

Paulo Braccini disse...

o cienema alemão para mim é o máximo ... a obra de Fassbinder para mim é pura genialidade ...

bjux

;-)

Junnior disse...

Eles (os alemães)são bons também em destruir coisas, né? Não deixaram nenhuma copiazinha inteira da película. Que horror!
Uma pena mesmo.
ótima dica, Dois. Vou inserir o vídeo dentre os sugeridos no canal do IG, do YouTube.
Beijos.

Wans disse...

Lembro quando vi o Gabinete... era lindo de ser ver, poético e quase itocável. Lindo!

Júlio César Vanelis disse...

Acho que esse filme é a frente até emsmo do nosso tempo... Um refilmagem nos dias de hoje causaria ainda bastante polêmica... O trecho que você postou é lindo, poucas coisas conseguem me emocionar, e essa conseguiu de verdade... Eu fico só imaginando como uma pessoa que viveu em 1919 poderia ter essas ideias tão atuais...

Um garnde abraço... Obrigado pleo post emocionante... Até o próximo

FOXX disse...

tem um documentário que se chama O Outro Lado de Hollywood, que acho q dá outro filme como o primeiro...

melo disse...

adoro expressionismo alemão!
e esse filme é um achado. pena termos apenas 16m de algo tão raro e belo.
quanto mais não se perdeu nas 'fogueiras' alimentadas pela intolerância?
ai, vamos fazer um dia do expressionismo alemão com maratona de filmes e pratos tipicos?
(menos os pratos ou todo mundo dorme depois de cinco minutos de filme..sabe como é, comida alemã é assim leve..leve...)

Augusto César disse...

Relíquia! Bacana a fala do médico, é exatamente o que defendo.

Comentei no post da Ariadna. Abraços, queridos!

LUH 3417 disse...

Então eu sou fã nº -1! haha
Fiquei encantada, nunca tinha ouvido falar deste... sem dúvidas quando eu tiver acesso a ele não perderei a oportunidade. Até!

Postar um comentário

BLOG ENCERRADO!

We Love It:

We Love It:

Seguidores:

DPNN no Facebook

Twitter:

  ©Dois Perdidos Na Noite - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo