quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Saindo do Armário...


Esse vídeo está "bombando" no Youtube. Mostra um rapaz se assumindo hétero, na mesa do café da manhã, diante de seus pais atônitos. Confiram, volto em seguida:


O vídeo nem é a coisa mais original do mundo, lembra muito este aqui, da TVPirata, mas é bem engraçado. O que eu achei mais legal é algo que provavelmente nem era a intenção de quem produziu. É claro que ele se propõe a (e consegue) mostrar, pelo uso dos clichês, que o preconceito é estúpido e que ninguém escolhe ser gay, tampouco muda o que realmente é para agradar a outrem. Mas o interessante, pelo menos pra mim, é que ele mostra que esse drama de se assumir também é algo igualmente estúpido.

Eu sempre pensei que fazer o maior drama queer por ser gay e implorar por aceitação alheia é uma bobagem. Quando dei por mim que era gay e assumi para mim mesmo, uma coisa era certa: eu iria viver a minha vida e pronto, sem essa de pedir autorização da família ou de quem quer que fosse, saber se "me aceitavam como sou". Até hoje sou assim, e se alguém não gostar, azar o dele(s). Ninguém é obrigado a gostar da minha sexualidade, além de mim e do maridão, e confesso que consigo conviver muito bem com isso, de verdade.

Sempre esteve fora de cogitação aquela cena dramática de chegar com os olhos marejados e os pulsos cortados para confessar que é gay - o engraçado é que até hoje alguns familiares esperam por isso...rs... Sou gay e pronto, convivam com isso, pois eu não vou poupá-los da minha presença...rs... Não quer saber, não pergunte. Se perguntar, não vou mentir. Quem me perguntou sabe que isso é verdade. Nunca escondi, mas como eu não andava com a bandeira do arco-íris na testa, nem tinha amigos gays, sei que isso despertava uma curiosidade geral, o "será que ele é?", mas se os heterossexuais de casa não precisavam contar o que faziam na cama,  não seria eu a ter de fazê-lo...

Acho legal quando o ato de assumir é uma forma de mostrar autoaceitação, ligar o "f@#$&-se" e tocar a própria vida, mas tenho sérias restrições quando essa atitude é mais uma forma de esperar dos outros uma aceitação que a própria pessoa não tem. Mas não sou psicólogo para teorizar a respeito. Cada um no seu quadrado.

Sempre me incomodou essa história de alguns gays sindicalizados empurrarem compulsoriamente as pessoas para fora do armário e idealizarem este ato. Cada um tem seu tempo, e nem acho que "sair do armário" seja uma obrigação do indivíduo para com "a comunidade", como alguns dizem. E existe uma coisa que esses militantes não contam: a vida no armário é ruim em vários aspectos, sem dúvida alguma, mas também tem seu lado bom! Vai me dizer que fazer algo escondido não é mais gostoso? Que não cria uma espécie de pacto entre os participantes, e que isso dá uma bela apimentada na relação? Obviamente não dá pra viver só à base de pimenta, mas é algo a não se desconsiderar. 

Vez ou outra maridão e eu recebemos e-mails de adolescentes pedindo ajuda para sair do armário, e a gente sempre dá o mesmo conselho: só saia se tiver certeza de que vai ganhar com isso, que a sua vida vai melhorar. Assumir que é gay num lar hostil e passar alguns anos sendo torturado em casa pode até ser um ato heróico, mas a gente acha que está mais para burrice mesmo. E bicha burra nasce hétero, né? Melhor viver na clandestinidade enquanto não é dono do próprio nariz (ou outras partes do corpo...) e sair do armário quando tiver maturidade psicológica e financeira para segurar o tranco. E, sejamos sinceros, de modo geral, TODO MUNDO SABE QUE VOCÊ É GAY, mas ninguém toca no assunto por educação ou receio...ou porque preferem o benefício da dúvida.

Comigo não rolou uma saída oficial num momento específico, acho que foram percebendo, se dando conta e assimilando, e as fofocas e especulações rolando na minha ausência, é claro (minha família é humana...rs...). Anos e anos com o mesmo cara, onde um estava, lá estava o outro, com aquela cara de felicidade estampada quando um encontrava o outro... teriam de ser muito burros para não perceber... Mas como eu não me intrometia na vida de ninguém, ninguém se atreveu a dar palpites na minha. E se tivessem dado, ouviriam um belo sermão...

E para vocês, rolou um momento como o do vídeo? Como foi sair do armário (se é que já saiu)?
.

9 Comentários:

Wans disse...

Eu ri horrores quando ela fala do ingresso da Lady Gaga e para ele fechar as pernas.

DMalk disse...

Eu nem sai ainda (para a familia), o maximo que de outing que eu tive foi no final do ano de 2009, quando eu e alguns amigos levavamos um colega bebado ate a tampa pra tomar glicose e do nada veio a pergunta "Malk você e gay", e eu respondi "sou"...

Mas eu só estou esperando minha independencia financeira pra isso, porque moro com minha avó e minha tia, então fica complicado depender da reação delas...

FOXX disse...

eu concordo... em parte...
concordo que pra sair do armário é necessário estar preparado, psicologicamente e financeiramente; tb concordo que é burrice assumir-se num lar hostil (como na minha casa, por isso ainda não me assumi COM TODAS AS PALAVRAS para os meus pais); porém discordo quando vc diz que o armário pode trazer coisas boas, ele pode ser extremamente confortável, agradável, espaçoso, ser um closet do tamanho do meu apartamento, no entanto será sempre um cerceador de liberdade que vai, de fato, impedir que o indivíduo viva sua sexualidade inteiramente. Por ex: como alguém q está no armário pode namorar? se ele não pode ser visto com o namorado em lugar algum, pq vão desconfiar... a vida de alguém no armário é sempre uma vida se preocupando em que os outros vão pensar, é uma vida se preocupando em não dar brechas para esse segredo emergir, é uma tortura auto-imposta absurda...

Paulo Braccini - Bratz disse...

tb gostei muito ... nada de originalidade mas inteligente na abordagem e soube aproveitar bem os clichês ...

Anônimo disse...

Não aprendeu nada com a Gisele hahahahahahahaha

Sou meio como vc. Não disse explicitamente e vivo plenamente bem comigo mesmo e parece que os outros também não veem nada de absurdo nisso. Todo mundo sabe, dizer pra quê? hehehehe

beijos

Fred disse...

Gostei. Senso de humor é algo necessário e faz falta pra MUITAAAAAAA gente, nze? Hugz!

Lekiss disse...

Concordo com vc...acho que a aceitação inicial deve ser sua consigo mesmo...depois filho....o mundo que se exploda...vc que vai pagar tuas contas e ser feliz do jeito que é e com com quem quizer...

melo disse...

olha, eu mesmo nem achei assim tão engraçado mas achei bem sacado o video justamento por mostrar, digamos, o outro lado da moeda, sendo meio clichê...

não sou a favor de explosões de armário e tb acho que há um peso demasiado sobre essa necessidade de fazer isso, nunca cobre de Wans que o fizesse pois é assunto delicado e que cada um de nós deve lidar da melhor forma

fácil dizer pra fazer quando é no dos outros, huh? no entanto, acho sim que todos desejamos, aberta ou veladamente, aceitação de sermos viados, porque não? eu quero sim, vcs não?

mas, como disse sabiamente aqui, pra bater no peito e falar que é viado, precisa ter certeza de que vai dar conta do recado depois....eu faço parte da parcela minima que caiu em familia que deu apoio e amor....exceção

Lobinho disse...

Penso como vc.
Irrita entrar em certos blogs e o cara fica dizendo a todos que saiu do armário e que todos devem seguir seu caminho.Prá que isso?
Meu amigo do Br,resolveu sair e sua mae estava expulsando-o de casa.Foi bem complicado.Tive que ligar várias vezes para conversar.

O meu caso,minha tia espalhou para família toda.kkkkkk.Sou sortudo.Como todos perceberam que nem me importei,só meus pais que quiseram saber e eu disse que sim.
Abraços.

Postar um comentário

BLOG ENCERRADO!

We Love It:

We Love It:

Seguidores:

DPNN no Facebook

Twitter:

  ©Dois Perdidos Na Noite - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo