quarta-feira, 23 de maio de 2012

Dialogay

A cena aconteceu essa semana. Lá ia eu, entrando na faculdade, quando sou interceptado por uma militante do movimento gay:

- Estamos reunindo assinaturas para a aprovação do PL122, você pode assinar aqui.
- Não, obrigado. Respondi.
- É rapidinho, é só assinar e você pode nos ajudar. Insiste ela.
- Não estou com pressa, não vou assinar porque eu sou contra o PL122 - informo à militante estupefata, que olha para mim, avalia minhas roupas e pergunta:
- Você é evangélico?
- Para quem diz lutar contra o preconceito, você está sendo bem preconceituosa, né? Só por ser contra, sou evangélico? Não, não sou, mas também não acho errado alguém ser.
- Desculpa, mas é que os evangélicos andaram falando muita mentira sobre o PL122, disse ela. Mas quem é heterossexual não sabe o que nós gays passamos, quanto preconceito a gente sofre.
- Os gays também andam falando muita mentira sobre o PL122... mas olha você me julgando de novo! Só porque eu disse que sou contra o PL122, quer dizer que sou hétero? Não, não sou. Sou gay e sou contra o PL122, ué!
- Mas você está dizendo isso porque não conhece o projeto...
Interrompi com um:
- Ao contrário da grande maioria que assinou esta lista, eu conheço o projeto, e é justamente por isso que eu não concordo com ele, acho o texto bem ruim. Mas vou te dar a chance de me convencer do contrário, se você conseguir, eu assino aí.
Ela ficou me olhando com ar de "esse cara é maluco", mas começou:
- O Brasil é o país onde ocorrem mais crimes homofóbicos no mundo...
- Sério? Qual é a fonte dos dados? Perguntei.
É claro que ela não tinha. E emendei:
- Tem certeza de que em países onde a homossexualidade é crime a situação não é muito pior? Onde é pior ser gay publicamente, aqui ou no Irã? E quantos desses homossexuais foram mortos, sei lá, por outros homossexuais? Ou quantos foram mortos por problemas com drogas, prostituição etc? Nem todo crime sofrido por um homossexual tem motivação homofóbica.
Então ela não se conteve:
- Não dá pra dialogar com a direita!
Eu ri e emendei:
- Não sei, porque não sou de direita. E estou aqui dialogando com você. Mas, olha só, em menos de 3 minutos você me julgou de forma preconceituosa três vezes: disse que eu era evangélico, hétero e de direita!  É tão difícil imaginar que alguém seja capaz de pensar por conta própria? Por que sair julgando as pessoas que discordam? Se quiser, eu te explico meus motivos, mas para isso eu preciso saber se você leu mesmo o projeto ou se só está repetindo o que ouviu falar sobre ele. A gente pode discutir o texto do projeto em si e eu te mostro o que acho problemático.
Então ela ficou quieta um tempo e falou:
- Vou chamar a minha amiga ali, que é mais experiente, para conversar com você, tá?
- Não precisa, obrigado, tenho de ir fazer meu trabalho lá dentro. Mas boa sorte aí na sua empreitada. Outro dia a gente conversa. Mas aproveite e tire uns minutos pra ler o PL122, é curtinho, só umas duas laudas.

O lado bom é que tenho certeza de que ela leu o projeto depois disso. Se continuou o defendendo ou mudou de opinião, para mim é irrelevante, cada um que siga suas convicções. Só não dá para aceitar que alguém me peça para assinar o apoio a uma lei da qual só ouviu falar, como se fosse um abaixo assinado qualquer. Pode parecer um caso isolado, mas desconfio de que seja a regra neste caso do PL122: tanto quem é a favor quanto quem é contra, de modo geral, nem se deu ao trabalho de ler o texto e já saiu munido com seus preconceitos para defender uma ideia quem nem é da própria pessoa.

Fica a dica: antes de sair por aí gritando contra ou a favor de algo, procure pelo menos saber o que está gritando. 

12 Comentários:

Anônimo disse...

Vc está certo de defender seu ponto de vista, mas eu gostaria de saber pq vc é contra o projeto, especificamente o pq e que partea. Eu não li o projeto, então não sei.

AugustoCrowley disse...

Nossa, de fato você arrasou!

Josy-chan disse...

Nossa, seu texto PRECISA ser divulgado.. mto bom!

Marcelo HD disse...

Achei seu texto presunçoso. Vc se posicionou mas não apresentou seus verdadeiros argumentos...
Explique sua contrarie4dade ao projeto :)

DPNN disse...

Marcelo, modéstia não é minha virtude preferida, aliás, nem vejo como uma virtude...mas respondendo, só coloquei no texto o que aconteceu no diálogo real. Não tive a oportunidade de apresentar meus argumentos para ela (o teria feito, sem problema) por isso não aparecem no texto. Já escrevi aqui no blog várias vezes sobre o assunto, mas posso, em outra oportunidade, fazer um post específico a esse respeito.

Raphael Martins disse...

Também fiquei na dúvida sobre os motivos... u.u

Fred disse...

Vc é um tesão! Adoro! E "você é evangélico" é pra f*der o c* do palhaço... cadacoisa! Hahahaha! Mutcho ter o senhor de volta! Beijos sem Dove... que somos machos, nzé? Hahaha!

Anônimo disse...

O texto original da PL122 era ótimo. Tratava a homofobia assim como se trata o racismo, infelizmente houve muitas mudanças pra pior e hoje, por intervenção dos evangélicos ele não será aprovado nem de uma forma, nem de outra.

Margot disse...

Não sei a frase correta mas vou adaptar:
"Não sei muito sobre a PL122, mas defendo até a morte o seu direito de contradizê-la"... rsrsr... acho que não passou nem perto, mas a intenção foi boa.
Abraços

Marcelo HD disse...

Entendi cara! Vc só poderia ter colocado no final do post uma "obs" sintetizando sua insatisação c o projeto de lei.. Mas ta de boa...

Juliano disse...

Eu li o texto atualmente discutido (conhecido como PL 122, embora esta denominacao nao seja a mais acurada) e acho bastante pertinente. Eu assinaria na hora.

Sim, sou a favor da liberdade de expressao, desde que nao seja usada para discriminar ou para incitar violencia ou restringir direitos alheios. Nestes termos, realmente nao sou a favor da liberdade de expressao plena.

Qualquer coisa que incite a violencia (último estágio da discriminacao e preconceito) deveria ser limitado de alguma forma. Homofobia, antissemitismo, racismo, intolerancia religiosa, sexismo, etc, tudo isso deveria envolver um onus à pessoa que torne suas atitudes públicas para o detrimento de outras.

Se bem que o simples fato de achar religiosos estúpidos (e torná-lo público, como estou a fazer neste exato momento), seria o suficiente para que uma pessoa menos equilibrada comece a exercer atos violentos e discriminatórios contra religiosos.

E na verdade, esse seria meu verdadeiro interesse. Que alguém menos equilibrado tome coragem e implemente algo que nao tenho coragem de fazer. Os religiosos estao fazendo o mesmo neste exato momento. Estao pregando contra a homossexualidade, para que os menos sensatos ou santos e já passíveis de ir ao inferno cometam atos discriminatórios/violentos.

Ou seja, no final das contas, nao sou contra à liberdade de expressao, mas na verdade eu seria contra à verdadeira intencao (consciente ou nao) pela qual se leva a externar opinioes intolerantes.

Incoerentemente, ainda assim, postei que acho religiosos estúpidos. E posso fazer isso por saber que nao serei punido. (eu acho, embora eu ainda nao esteja ativamente discriminando os religiosos).

Portanto, sou a favor do texto da PL 122 porque inclui a homofobia dentro das categorias oficialmente discriminatórias. Isso nao vai acabar com a homofobia, já que ainda existem grupos antissemistas, antinordestinos, racistas, machistas, etc... Mas sua existencia é inibida na medida do possível e é assim que deveria ser para os homofóbicos também.

Resumindo, é complicado, mas acredito que, pragmaticamente e objetivamente encarando o tema com realismo à parte de conviccoes filosóficas sobre liberdade de expressao, a PL122 ajudaria a inibir e diminuir os casos de violencia.

Abracos

Postar um comentário

BLOG ENCERRADO!

We Love It:

We Love It:

Seguidores:

DPNN no Facebook

Twitter:

  ©Dois Perdidos Na Noite - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo