quinta-feira, 10 de maio de 2012

Paredão DPNN: Hétero NÃO Vira Gay!


 Nós gays, às vezes, temos um comportamento meio...eu diria...esquizofrênico... a impressão fica ainda mais forte em alguns casos, com o questão da “cura” gay, assunto sobre a qual já escrevi aqui e, nesta semana, foi tema de um quadro no CQC. Explico: é consenso entre a gente que ninguém “vira” gay, certo? Que a gente já nasce assim e só descobre mais tarde - e se aceita ainda mais tarde. Bem, acho que não está assim tão certo para boa parte dos gays, pelo que dá pra perceber. 

Vamos lá....a gente sempre usa este argumento para explicar a nossa condição: “não escolhemos ser gays”, “não viramos gays da noite pro dia”, “não dá pra transformar um gay em hétero”, “não existe ex-gay” etc, etc, etc. Bem, mas a coisa muda de figura quando o gay pensa sobre o hétero virar gay. Sim, pois boa parte dos gays se apaixona per-di-da-men-te por caras que são 100% heterossexuais e acreditam piamente que o cara vai mudar. 

Mês passado um colega veio pedir minha opinião num caso desses. Como ele não sabe do blog, vou contar a fofoca aqui. O caso é o seguinte: no carnaval ele conheceu um gringo. Não, não conheceu o gringo no sentido bíblico, foi num bar, com uma turma de mais de uma dezenas de pessoas. Não, não foi num bar gay, era um bar comum. O cara é hétero, 100% hétero e disso meu colega não tem dúvida. O cara NÃO deu bola pra ele, simplesmente conversou, assim como com todos os ali presentes. Ele flagrou o gringo olhando para a bunda de TODAS as mulheres que passavam. Mesmo assim, por uma lógica maluca, ele cismou de que o cara, na verdade, podia ser gay. E se apaixonou. E veio me pedir um conselho.... Eu, que nem tenho essa intimidade com o cara, fui logo dizendo: “se eu fosse seu terapeuta pensaria, mas não verbalizaria isso, mas como sou só seu colega, vou dizer: eu acho que você é um idiota procurando motivos pra ficar sofrendo. Ficar criando expectativas em relação a um cara que está do outro lado do mundo e ainda por cima é hétero... só pode ser coisa de masoquista.” É claro que não era isso que ele queria ouvir, e é claro que ele continua acreditando que o gringo vai virar gay e vir da Europa pra cá montado num unicórnio alado.

Bem, este é um caso extremo, mas se a gente vir, no dia a dia, situações assim se repetem a cada momento. Quantos gays não alimentam este tipo de utopia? Todo hétero é capaz de transar com outro homem (por falta de mulher disponível, por interesse financeiro ou qualquer outro motivo), mas isso não faz dele um homossexual, né? Sinto dizer, amigo que vive uma situação dessas, mas a primeira mulher que der bola pra teu macho “de verdade”, leva o cara fácil, fácil, por mais baranga que ela seja. E você vai ficar chupando o dedo. Só o dedo.

Acho que esse tipo de situação é até mais comum entre as lésbicas do que entre os homossexuais masculinos. É comum a gente ver a mulher contando que foi morar com outra depois de uma decepção com o marido, que apanhava, foi traída etc. Sempre imagino que um belo dia ela perceberá que o problema não eram os homens, mas aquele homem específico. Aí ela arruma outro cara e deixa sua companheira chupando o dedo. Bem, nem sei se a expressão se aplica aqui. 

No quadro do CQC, o transexual Léo Áquila participou de várias atividades tipicamente masculinas para se "curar" e tentar virar hétero. O quadro era só uma piada, nem vale argumentar que o fato de ser gay não me impede de fazer nada daquilo. O que me chamou a atenção foi que o Léo Áquila terminou sua participação dizendo que era impossível um gay virar hétero, mas que um hétero virar gay era “mais fácil”.

Acho que a gente precisa se decidir: ou todo mundo é o que é, e pronto, ou todo mundo pode virar e desvirar igualmente. O que não dá é pra adaptar as convicções ao que for conveniente, né?

Gay não é um ex-hétero. Lésbica não é uma mulher que não conheceu "um homem de verdade". Gay não vira hétero. Do mesmo modo, hétero não é alguém que vai mudar de time quando experimentar uma relação homossexual: hétero não vira gay.

Faça um favor a você mesmo, amigo gay (e amiga lésbica): invista seu tempo – e dinheiro – em um relacionamento de verdade. Você vai ver como os iguais também se atraem. 

11 Comentários:

Anônimo disse...

Fazer sexo com homens quando envolve dinheiro, apesar de não considerar um cara assim 100% hétero, é até compreensível.

Agora por "falta de mulher disponível" penso ser uma desculpa esfarrapada.O que não falta nesse mundo é mulher disponível, elas existem em maior número que os homens e estão cada vez mais liberais.A não ser que o cara esteja preso.

A mesma coisa vale para travestis, essa de que consideram uma mulher acho pura balela.A não ser que o cara seja esquizofrênico, ele sabe que não é uma mulher, e que tem um pinto.Se quisesse uma mulher procuraria uma.Se faz com uma mulher com pinto, é porque quer uma mulher com um pinto.

Quanto a um gay virar hétero, e um hétero virar gay, já não duvido de nada.Aliás são apenas rótulos insuficientes para expressar a sexualidade de uma pessoa e acho que cada vez mais temos menos gente que é 100% alguma coisa.

E eu mesmo sentia atração por mulheres até o início da minha adolescência, agora sinto só por homens.E apesar de na adolescência essas mudanças serem mais comuns, não acho impossível que isso posso ocorrer em idades mais avançadas.

E sobre o usar o tal argumento de que "nascemos gays" para sermos aceitos sempre achei um tiro no pé.Vai que no futuro cheguemos à conclusão de que não é bem assim, será válido a discriminação que sofremos?Essa é a mensagem que passam, mesmo não intencionalmente.

Discutir isso é o mesmo que discutir o que define a sexualidade humana.Vários estudos foram feitos, mas conclusões mesmo, temos alguma?Eu particularmente aposto minhas fichas que seja multi-fatorial e flexível (ou está se tornando pelo menos).Mas no final das contas "nascemos gays", não "existe ex-gay", não existe "ex-hétero" não existem "bissexuais" são apenas senso comum.

Anônimo disse...

Aliás são apenas rótulos insuficientes para expressar a sexualidade de uma pessoa

*em grande parte dos casos

Serginho Tavares disse...

o grande problema também está em alguns gays acharem que porque ficaram com um pseudo hetero conseguiram a proeza de fazê-lo mudar de lado. acontece que o cara nunca foi hetero. eis a questão.

beijos

Anônimo disse...

Concordo com o anônimo 1 em relação aos rótulos. Mas no caso do travesti, não sei se os caras são gays, pois o corpo do travesti é de mulher. É engraçado essa coisa que vc falou sobre as relações entre mulheres. Isso acontece msm entre elas, pelo que vejo na mídia, mas será que ela conhecer um cara quer dizer q tudo q ela viveu com outra mulher era mentira? Podemos ver que a maneira como as lésbicas veem a sexualidade dos homens gays comparando os seriados queer as folk e the l world. No QAF a sexualidade é mais rígida, ou vc é gay ou ht. Em the l world, as identidades ht, bi, gay vou mudando de acordo com as circunstâncias, tesão, hormônios dos personagens - uma das principais tem um filho e começa a sentir T de novo por homens. Mas não quero dizer q dá para virar um ou outro de uma hora p outra (algumas pessoas ate podem conseguir rs), não acredito nessa coisa de "cura" gay, mas sim q a sexualidade é complexa. Tipo em sinto pouco atração por mulheres, já tive sonho erótico com mulher, me considero gay - apesar de nunca ter feito nada com um homem- e sei o q mais me faz sentir T. Mas essa pequena atração por m quer dizer q sou pseudo-gay?
Agora em relação ao seu amigo, viu o cara olhando p bunda da mulherada, pode desistir rs. Mas a verdade msm é que nunca estamos satisfeitos com o q temos. Se são os gays, alguns acham q os h ht são mais atraentes e se apaixonam,se são as mulheres, acham os gays mais atraentes e se apaixonam.
Olha esses blogs, uma de uma mulher bi q namorava um homem e agora namora uma mulher:
http://blogsoubi.wordpress.com/
E esse depois de vários posts seus sobre essa de gays quererem hts digitei isso no google e olha o blog q achei:
http://gaysozinho.blogspot.com.br/ (pelo jeito sempre será sozinho).

Anônimo disse...

continuando...rs
Eu acho q uma pessoa tem direito de se auto-identificar como quiser, se um cara transa com homens e se acha ht ok p mim e vice-versa. O que eu não gosto é quando algumas pessoas q tem relação com o msm sexo (mas se consideram ht) tentam tirar nossos direitos (exemplo: nos eua muitos políticos e pastores são contra os direitos dos gays, mas muitos ja foram pegos fazendo sexo gay (eles podem se definir como ht, mas agora lutar contra os direitos dos outros ai e demais). Acredito q os gostos sexuais podem variar, mas ai falar q deus te iluminou e agora vc está no caminho certo ah acho demais. Eu acho q alguns políticos e religiosos conservadores acham q gays podem virar ht, pq está na escala 1 ou 2 de Kinsey, tipo já devem ter tido sonho eróticos com pessoas do msm sexo, mas quando acordam observam as do sexo oposto e tem medo disso q ocorre com eles.

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

gay é gay, hétero é hétero porque assim são e ainda porque ainda existe uma questão cultural permeando tudo isto ... se fossemos aculturados acho q nossa sexualidade se expressaria com mais naturalidade e mesmo tendo nossas orientações principais creio q os héteros teriam manteriam relações homos assim como os homos manteriam relações héteros sem maiores culpas ou dificuldades ...

ps: Sou gay, nunca vivenciei sexo hétero mas acho q seria perfeitamente capaz de experienciar, de forma muito prazerosa, esta manifestação de sexualidade ... nunca vivenciei e nunca vivenciarei mais, por uma questão de bloqueio pessoal mesmo ... acho q relacionar seria só de forma homossexual mas a sexualidade poderia tranquilamente ser bi ...

Anônimo disse...

Eu gostaria de postar aqui um comentário que não está relacionado a postagem e sim, fala sobre um assunto de "interesse gay". Eu vi este vídeo e me emocionei com a história. Ele está sendo muito repercutido e seria muito legal vocês darem uma olhada.
http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=pR9gyloyOjM
Até mais.

Júlio César Vanelis disse...

Rapaz, esse assunto é muito complicado. Acho que a coisa não é tão simples quanto "Nasci gay" ou "nasci hetero". No início da minha adolescência, eu acreditava exatamente no que você acabou de postular: nascemos gays ou nascemos hetero, e isso não muda. Mas cara, a sexualidade é algo tão individual, tão intrínseco, que definir esses parâmetros é algo totalmente obsoleto, pelo menos é o que eu acho. Não, não estou falando que podemos chegar para qualquer hetero e transformá-lo em gay. E, no caso do seu amigo por exemplo, de fato foi imaturidade, normal, acontece com qualquer um, como o adolescente que se apaixona pela professora de educação física, ou a menininha que diz ser a namorada do Justin Bieber. Amor platônico acontece com qualquer pessoa, e por mais que aconselhemos, não adianta, a pessoa continua cega. Mas, pense comigo, não tem como vc chegar para um cara, que sempre esteve com mulheres, e dizer que ele nunca vai preferir ficar com homens. Existe uma pressão para que esses caras fiquem com mulheres, e se existe algum desejo por pessoas do mesmo sexo, ele vai aprender a reprimir e vai levar uma vida hetero feliz e normal, ou seja, o fato de ele ter algo intrínseco que o faça sentir atração física por homens não vai fazer com que ele seja bi. Hetero, gay e Bi são apenas rótulos para facilitar e sistematizar a questão da sexualidade. Desse modo, eu sou gay porque eu ASSUMO que sinto atração por homens, da mesma forma que um cara que sai com homens e sente atração tbm por mulheres vai ser considerado, caso ele se rotule gay e não bi. Então, o cara pode simplesmente descobrir que gosta de homens a uma certa altura da vida e assumir isso. Logo, ele é um hetero que está virando gay... Bem, talvez seja só uma questão de referencial, mas é fato que a sexualidade é muito mais complexa e individual do que esses parâmetros sistemáticos que criamos para tentar entendê-la a nível coletivo. Talvez seja por considerarem essa possibilidade, aliada a uma pitada de imaturidade e uma boa dose de desejo sexual, que muitos de nós (gays) se iluda e pense que o tal hetero do bar vai se apaixonar por ele e serão felizes para sempre. Enfim, acho que estou em estendendo muito... rsrsrs. Mas enfim, muito interessante a sua colocação! Talvez essa abordagem seja direta a ponto de chegar na cabeça de muitos gays que sofrem por paixões platônicas... Enfim!

Um abraço! :D

Até

Anônimo disse...

Tbm acho que a comunidade gay opera num padrão duplo. Parei para pensar na novela Avenida Brasil (sei que vcs são noveleiros, eu tbm rs). Se o cara gay, acho q chama Roni, conquistar o menino que ele gosta na novela, e que até aqui é ht e fica com a Suelen, nenhum gay vai reclamar. Mas se o Roni for p os finalmentes com a Suelen (o que não é difícil de acontecer, visto os personagens gays q o autor já escreveu - retirando a personagem lésbica da Paula em A Favorita que foi bem escrito- acabaram com mulheres).Vai chover de reclamação rs.

Anônimo disse...

Gostei da maneira como o Júlio César Vanelis abordou a questão.

Anônimo disse...

Sou casado, tenho filhos e até uma netinha. Linda por sinal. Desde cedo, entretanto,sentia atração também por homens. Estive apaixonado por vários deles. Alain Delon, por exemplo. Mas também estive apaixonado por Ava Gardner, pela minha professora de francês, Brigitte Badot, etc. As pressões sociais, familiares, profissionais, e tantas outras a que nos submetemos, fazem-nos optar por uma orientação que não nos angustie, nos plenifique. Não nasci gay. Não nasci hetero. Eu me construi sexualmente a partir do espaço cultural em que me situei. Continuo achando homens bonitos e sentindo atração por eles. Como sinto atração por mulheres e com elas me relaciono. O que eu acho é que a rotulação gay e bi é extremamente constrangedora, embaraçosa e cheia de pré-conceitos.

Postar um comentário

BLOG ENCERRADO!

We Love It:

We Love It:

Seguidores:

DPNN no Facebook

Twitter:

  ©Dois Perdidos Na Noite - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo