terça-feira, 1 de junho de 2010

S. Darko - Um Conto (do vigário) de Donnie Darko

Donnie Darko é um dos melhores filmes de todos os tempos = fato. Fato indiscutível, e quem disser o contrário, eu mando derrubar uma turbina de avião bem na sua cabeça quando você estiver dormindo.

Na época em que vi o filme escrevi a respeito no meu finado blog “Urso Polar”. Quem quiser saber, o texto está aqui (quem não quiser, é só pular):


Domingo , 11 de Julho de 2004
o ser humano sempre morre sozinho

Há filmes que são apenas um tipo de diversão temporária, entretenimento que logo após as luzes se acenderem no cinema nosso mundo volta ao seu ciclo normal. Um exemplo disso é o "Homem Aranha", que vi na última quarta-feira. Você assiste, se diverte, e pronto. Outros, no entanto, permanecem em nossa mente por muito tempo, provocam estragos, debate, polêmica, fazem pensar. Um exemplo deste segundo tipo eu acabo de ver agora, na quietude da minha sala. Trata-se de "Donnie Darko", um filme absolutamente sensacional! Sempre vi o DVD na locadora, mas a julgar pela capa deveria ser mais um daqueles "Eu sei o que você fez no terceiro final de semana após a lua cheia do verão passado". Até que li um comentário bacana a respeito na coluna do Lúcio Ribeiro, na Folha. E resolvi dar uma chance ao filme... Aproveitei que estaria sozinho hoje – não é o tipo de filme que agrada a todos – e fiquei assistindo. O clima do dia – frio e escuro – era mais do que apropriado. E logo de cara, na primeira cena, "The killing moon", do Echo & The Bunnymen. O filme inteiro apresenta trilha sonora dos amados anos 80 (Joy Division, The Church, Tears for Fears, Duran Duran), cheio de referências bacanas. O roteiro é sensacional. Pra dar uma idéia, o filme possui a mesma atmosfera surreal dos melhores momentos do David Lynch, mas sem os "exageros poéticos visionários" que às vezes assombram o Lynch. Nada é gratuito no filme. Eu já sou um cara meio paranóico, então me identifiquei totalmente com o Donnie... Não é lá um filme muito indicado para o atual momento da minha vida, mas gostei muito do desfecho! Torci muito para que o final fosse aquele! Vejam o filme, quem tem um "paladar" adequado ao cinema alternativo vai adorar! E pensar que o filme nem passou nos cinemas por aqui, foi direto para as locadoras. Mas, segundo a internet, ele se tornou totalmente cult no exterior, com direito a sessões malditas à meia noite, em Londres...
Liebe, você disse que se identificou totalmente com o "Bem vindo à casa de bonecas". Digamos que esse filme é sua versão masculina e dark. Lembrei-me de você em muitos momentos, acho que você também iria gostar dele.


Como uma viagem no tempo ao estilo Donnie Darko, estou de volta (com o mesmo corpinho de 2004, o mesmo namorado, mas ambos bem mais bonitos e modestos)!

Por que estou desenterrando o finado (blog e Donnie)? Porque hoje eu vi o que supostamente seria a continuação da história: S. Darko – Um Conto de Donnie Darko. O “S” do título se refere a Samantha Darko, a irmã mais nova do protagonista do primeiro longa. A garotinha de 10 anos cresceu e agora é uma moça. O detalhe é que a mesma atriz faz o papel nos dois filmes.
Meu amor, quando leu a sinopse do DVD (que aliás, não tem nada a ver com o filme), me perguntou: você não tem medo de ver um filme destes tendo gostado tanto do outro? Eu falei: sei que será uma merda. Mas como eu conseguiria conviver com a curiosidade me torturando? Era mais forte do que eu, eu tive de ver.

Quem não viu o “Donnie Darko” (pecado imperdoável) vai ficar boiando, já que fica subentendido que você conhece toda a história dos buracos das minhocas (como assim, que história é essa de buraco de minhoca?). Quem viu, também, já que o roteiro transforma o que, no primeiro filme era mistério, em pura confusão. Chamar o roteiro de confuso é bondade da minha parte. Lá pelo final eles tentam juntar as pontas, deixam muitas outras soltas, até que evitam o desastre total.
Donnie Darko é um puta filme, com uma puta trilha sonora, calcada nos anos 80. Felizmente eles não criaram uma trilha grunge para mimetizar o sucesso. Por falar em trilha, o sacana do diretor de som acabou com a minha crítica, que se preparava para detonar o filme sem dó! Motivo: o filho de uma mãe colocou “The Carnival Is Over”, do Dead Can Dance, na melhor cena do filme. Ou eu achei que é a melhor cena por causa da música, sei lá. Depois ainda colocou "Heaven or Las Vegas”, do Cocteau Twins, em outra cena da qual não posso falar.

O filme é ruim? Claro, né! Mas é difícil julgar, tendo como comparação logo um dos melhores de todos os tempos (estamos de acordo neste ponto, ok?). Se vale a pena ver. Claro, nem que seja como experiência cinéfilo-antropológica. E porque eu sei quem você também é curioso.

2 Comentários:

Wans disse...

Meu, tô com o filme no meu micro e tava com receio de ver. Nem quis ler todo o post para não desanimar de vez. Eu tinha visto que a trilha sonora era phoda!
Eu amo Donnie Darko, o meu tatuador fez um Frank pra mim de durepox que vc nem diz. Tá perfeito!

download filmes disse...

site de otima qualidade valew ai pelo conteudo estarei sempre visitando esse site para ver as novidades

Postar um comentário

BLOG ENCERRADO!

We Love It:

We Love It:

Seguidores:

DPNN no Facebook

Twitter:

  ©Dois Perdidos Na Noite - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo