sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Pra Não Dizer Que Não Falei Das Flores


Todo mundo já está careca (ops) de saber o que aconteceu na madrugada do último sábado para domingo na Av. Paulista. Acompanhei as notícias desencontradas ao longo da semana, à espera de que alguém escrevesse um texto um pouco menos superficial ou passional a respeito. Confesso que não esperava encontrar. No dia seguinte, lá estava o de sempre: skinheads haviam espancado gays. Horas depois, nova explicação: não eram skinheads, agora era uma questão de luta de classes: filhos da dona zelite homofóbicos batiam em gays pobres. Novas versões ainda apareceriam durante a semana: briga, reação a uma possível cantada, entre outras.
.
Já havia desistido de tentar ler alguma reflexão de verdade sobre o assunto que não caísse na luta de classes, no coro do politicamente correto ou no passional "nós x eles". A questão é muito mais profunda do que isso, diz respeito à própria noção de vida em civilização.
.
Pensei em escrever eu mesmo sobre o assunto, mas hoje, visitando o site da revista Veja, encontrei um texto chamado "Civilização Neles!" que diz muito bem o que maridão e eu pensamos sobre o assunto, põe os devidos pingos nos "is" e tem coragem de dizer o óbvio (coisa rara nos dias de hoje). Coisa como:
.
"O nosso senso de justiça, de moral e de ética tenta nos impedir de ver o óbvio: FIZERAM AQUILO PORQUE FICARAM COM VONTADE E PORQUE ESTAVAM CERTOS DE QUE NÃO HAVERIA CONSEQÜÊNCIA NENHUMA, A NÃO SER PARA AS SUAS VÍTIMAS."
.
"Somos originalmente amorais como qualquer bicho. Educamo-nos, aprendendo O VALOR CIVILIZADOR DO “NÃO”, DA REPRESSÃO E DO LIMITE. A sociedade é que nos arruma! Esses valores são construções sociais, sim. Podemos decidir segui-los ou não. E há quem decida não seguir. É simples assim. O crime não é uma patologia individual ou social (não considero aqui os doidos clínicos). Trata-se de uma escolha, como qualquer outra, felizmente minoritária, ou nem o Leviatã daria conta do horror. Alguém diria que aquele brucutu que quebra a lâmpada no rosto do outro não sabia que aquele é um comportamento inaceitável? Ora, ELE SÓ FEZ O QUE FEZ PORQUE SABE SER INACEITÁVEL, ENTENDERAM? ELE ESCOLHEU PRATICAR O CRIME."
.
"O problema desses caras não é eventualmente desrespeitar homossexuais. Eles não respeitam é o pacto de civilidade. E precisam saber que isso tem conseqüências."
.
Para quem quiser ler o texto na íntegra, o link direto é este aqui. Vale a pena ler, nem que seja para discordar.
.
Ps. se você é adepto do "leu na Veja, azar o seu", acho que precisa repensar sua noção de preconceito antes de reclamar do alheio...
.
Ps2. Bom final de semana e, como sempre, divirtam-se sem moderação!

20 Comentários:

Leandro Souza disse...

De certo que somos seres sádicos por natureza, sempre defendi esta teoria observando o comportamento de crianças de 5 ou 6 anos. Mas o fator a ser analisado é a escolha das vítimas. Foram dois ataques. Um filmado e outro não. Foram dois ataques a grupos que eles supuseram (sim, esta palavra existe) que fossem homossexuais. As agressões verbais foram de cunho discriminatório. Foi sim um crime movido por homofobia. Disso não restam dúvidas. Um preconceito arraigado na nossa cultura, e reforçado pela não subserviência ao "VALOR CIVILIZADOR DO 'NÃO'".
Estas pessoas tem sim um problema com as convenções da civilidade, mas eles escolheram direcionar isto para um determinado grupo (ao menos desta vez). Crendo ou não na impunidade, ELES escolheram a NÓS para atacar. E isso é um fato!
Agora rasgando um pouco de seda para vocês, curto muito o vosso blog, mesmo não concordado com muita coisa que vocês escrevem, é sempre bom ter pontos de vista diferente para comparar. Ainda mais se este ponto diferente do seu, vem com uma pitada (ás vezes mais) de humor negro.

Paulo Braccini disse...

O Leandro foi perfeito em sua contextualização ... a questão até pode passar pela falta de valores de civilidade ... mas está mais q óbvio q a questão tb passa, e em grau máximo, pelo preconceito, pela HOMOFOBIA! Qualquer tentativa de mascarar isto é querer que as coisas não mudem ... #homofobianão

parabéns meninos

;-)

S.A.M disse...

Por isso a necessidade de leis e punição a este tipo de comportamento!

Bem, eu leio a Veja cheio de ressalvas né. Acho que esse é o lance: ler de tudo, mas discernir.

Beijopros2

Junnior disse...

Sim, eu já havia lido. A VEJA inclusive está adicionada à página de favoritos [assim como outras revistas]. Querendo ou não, manipuladora/vendida ou não, ela tem o poder de ser a que mais circula no País, sendo, portanto, uma escrita de peso.
Quanto aos episódios homofóbicos, que vêm acontecendo sucessivamente, concordo que a origem do problema é a incivilidade. Em todos os aspectos. Não adianta um país ganhar destaque internacional porque conseguiu certa estabilidade financeira se não levar junto a educação, a segurança e a saúde. É como, por exemplo, uma família formada por pessoas sem educação, sem classe, sem moral e nem princípios que se torna, da noite pro dia, bilionária. Pais ausentes, filhos sem noção do certo e errado, e agora ricos. Podem tornar-se + civilizados, claro, mas nem pensam nisso. Querem ganhar destaque na vida apenas pelo fato de serem ricos enfiando goela abaixo de todo mundo as suas imprudências sociais, quiçá, ações criminosas.
De lado a analogia, não há ordem; não há comando no Brasil. Ninguém - que poderia - esmurra a mesa ou a joga longe pra dar um BASTA e realizar uma força tarefa nacional para punir quem deve, proteger os desamparados e gerar uma segurança no patamar mínimo - que seja - de um país civilizado. Já seria um bom começo para chegar lá: impor o respeito de todos por todos, pelo medo da punição severa e exequível. Sem essa de pensar que 'eu não serei punido'.
Enquanto isso, meus caros, impera o salve-se quem puder mesmo. E, óbvio, num esquema assim sempre haverá segregação do povo: nós contra eles ou nós fugindo deles. No mínimo, entre os iguais e os diferentes.

DPNN disse...

Leandro: divergência inteligente é sempre bem vinda, sinta-se a vontade inclusive para comentar quando não concorda com algo, ok? Só expomos nosso ponto de vista, nossa intenção não é doutrinar ninguém, nem ser donos da verdade.

Paulo, não descarto a homofobia na atitude deles, nem acho que alguém tenha tentado mascarar este fato (além dos advogados deles) - acho até o contrário, que se deu bastante destaque a este ponto. Só não acho que seja o ponto central da questão.

Junnior. A gente percebe isso claramente quando compara a situação com alguns países que já avançaram neste aspecto. A certeza da impunidade, a cultura do "jeitinho brasileiro" são pragas que vão corroendo as estruturas da sociedade, e quando a gente não se dá conta... Realmente acho que é a diferença entre a civilização e a barbárie. Uma sociedade civilizada repudia TODO tipo de crime, TODA discriminação.

Day ! disse...

o pior de tudo é saber que isso vai continuar assim , se é que não vai piorar , pois esse ''valor civilizador do não , da repressão e do limite'' continua passando de geração a geração .

me pergunto se algum dia a homofobia for ''amenizada ''como o ''racismo'', o que vai ficar no lugar ??

Day ! disse...

o pior de tudo é saber que isso vai continuar assim , se é que não vai piorar , pois esse ''valor civilizador do não , da repressão e do limite'' continua passando de geração a geração .

me pergunto se algum dia a homofobia for ''amenizada ''como o ''racismo'', o que vai ficar no lugar ??

Júlio César Vanelis disse...

Não vou nem adicionar nada... nem vou divergir, achei a sua visão muito adequada. Você foi o que postou o assunto de maneira mais inparcial até agora (que eu tenha lido), e só a sua imparcialidade e o espaço deixado para divergencias e adições já me fizeram concordar com a sua visão...

Um abraço, até o próximo!!!

Lady Jane Grey disse...

olha as vezes eu me pergunto para onde o mundo está indo, as pessoas estão regredindo, cada vez mais se avança nas tecnologias mas os homens estão cada vez mais voltando a ser primitivos.
civilização e tudo o que esse termo implica é fundamental para o bom funcionamento de uma sociedade, mas me parece que cada vez mais a humanidade esquece o significado dessa palavra e por consequencia esquece de utiliza-la.
estou indignado...
bjos

Anônimo disse...

Olá DPNN

adoro o seu blog e os seus posts. sao muito bons mesmo. eu fiquei consternado com esse caso. é uma violêcia gratuita praticada por esses macacos ignorantes. o problema é q sabemos q eles irão se safar dessa sem nenhuma consequencia... isso q me deixa mais louco...anyway...é a primeira vez q comento algo por aqui, mas eu leio o seu blog há algum tempo. continue sempre assim. abraços
MIGUEL NUNES

Lobo disse...

Sádicos por natureza, eu não sei. Mas o fato é que destruir dá uma sensação ótima. Uma adrenalina sem noção. E quando não há consequência nenhuma... se sentir bem sem nenhuma consequência negativa para si? porque não?

That's the world we live baby.

Um beijo pros dois.

FOXX disse...

como isso me lembrou as aulas sobre iluminismo, Hobbes, Montesquieu, Espinoza, todos eles falam sobre este contrato de civilidade que é necessário assinar para viver em sociedade...

agora, pq estes meninos acreditam que não precisam assinar esse contrato? e, desculpa, mas acho q essa resposta passa sim pela malfadada luta de classes... neste pais em que "rico não vai pra cadeia", citando o vídeo "eu sou rica", esses garotos não estavam certos da impunidade que o dinheiro dos pais deles garantem a eles?

outra coisa, além da luta de classes, e já caindo no que vc disse do "nós x eles", eu me pergunto quantos homossexuais eles já não xingaram na rua e saíram impunes, quantas agressões menores aconteceram antes, para este menino se sentir no direito de estourar uma lâmpada na cara de outro ser humano?

acredito q vc excluiu mto rapidamente tanto a luta de classes, qnto o nós x eles

Paulo Braccini disse...

Vc está cheio de razão no coments q vc deixou por lá ... FATO, mas não podemos desacreditar na possibilidade de q algo tem, pode e deve ser feito ...

bjux

;-)

BSvox disse...

Me desculpem, mas o texto que vcs sugeriram da VEJA foi o mais engajado na luta de classes que eu li. "NOSSA SEMPRE SURRADA CLASSE MÉDIA" é demais para mim. E só para lembrar ao "Sr. Reinaldo" Sociologia, etc, são ciências, ao contrário do "comentarismo político"

BSvox disse...

O caso em questão não é simplesmente um bandidismo da classe média como Suzane Rich ... e etc. ... Ir a um lugar frequentado por homossexuais em bando e com lampadas na mão? (Tem um significado em si) Se fosse apenas a certeza da impunidade pq ele atacaria a própria mãe ou uma pessoa qualquer em outro bairro? A motivação da escolha da vitima é ódio, é a materialização da falta dos limites que seus pais não deram, associado ao preconceito que ouviu na igreja, em casa, na escola, etc ...
O ataque representa a materialização do "HOMOHATE" (odio a gays) homofobia é leve demais

BSvox disse...

Desculpe, os mil comentarios ... Por último, Deve-se olhar os eventos de forma sistemica: Beijo lascivo em cinema vira estupro; Ataque motivado por odio torna-se apenas mais um evento de bandidismo de classe média ... Para os gays implementam o "péssimo de pareto", o jogo do perde perde ... fica claro o "HomoHate" do sistema como um todo ... Qdo transgridem sentem o peso da lei, independente da atuação HT em situações semelhantes, quando sofrem ataques relaxam as punições de seus agressores ... Lamentável ...

DPNN disse...

respondendo em geral...

Maridão e eu sempre lecionamos em escolas públicas da periferia de SP. A situação é absolutamente a mesma, só que lá o pessoal passa a mão na cabeça dos delinquentes dizendo que eles são "carentes". E eles fazem as mesmas coisas! Como o Reinaldo Azevedo falou: não é um problema de classe social.

Certa vez, no primeiro dia de aula (!!!!!!), pedi a uma aluna da sétima série para que ela abrisse o livro na página tal. sabe o que ela me disse? VAI SE FUDER, PROFESSOR! Uma professora foi chamada de "macaca", em plena sala dos professores, por uma turma de alunos da sexta série. Conhecemos professores que apanharam em sala de aula, outros tiveram carros destruídos, tudo por alunos. Pedi demissão, mesmo sendo concursado.
Maridão passou por tantas coisas em sala de aula que teve de se afastar antes de ficar maluco, por conta da violência que enfrentava diariamente!
Quando vi a notícia, fui logo vendo a idade deles. Com raras exceções, este é um problema desta geração, que realmente não sabe conviver com a ideia de limites.

E repito o que disse em outros blogs: se a agressão da av Paulista tivesse sido na periferia da cidade, 99% dos gays nem ligariam. Basta lembrar dos 14 que foram mortos num parque pelo maníaco do arco-íris (o pior caso de homofobia que já tivemos no país), e nenhum grupo militante deu a mínima...

DPNN disse...

Bvox: não era um lugar frequentado por gays, até porque precisa ser mais corajoso para ir até um lugar desses, pois o cara sbe que vai apanhar, e eles eram covardes...E nem todas as vítimas deste caso eram gays, como alguns mesmos já declararam.

Sobre o cara não atacar outras pessoas, não é bem assim. Um deles, só neste ano, foi suspenso 6 vezes na escola, entre outras coisas, por brigas. Numa das vezes, foi lá e mijou na frente da sala de aula... civilizado, não?

O que eu acho que pode ser o motivo da escolha por gays, neste caso, é achar que eles não reagem e seriam presas mais fáceis. Por que será que nunca atacam gays grandões ou fortões?

BSvox disse...

DPNN,
Obrigado pelo comment no meu post resultado do abuso de glicose.

Tentarei ser sintetico.

- Meus melhores amigos gays moram em SP, os visito frequentm.

- Av. Paulista a noite, em especial prox as Alamedas foi o lugar q mais frequentei.

- Qdo me hospedava no Formule 1, Paraiso, eu por diversas vezes andei a Paulista inteira a noite.

- Em Jan/09, saindo da Bella Paulista, as 4 AM, Eu e o EX, esperamos por 20 min um taxi na Paulista. A qtddes de Casais gays e sua desenvoltura nos surpreendeu.

- Ser gay é uma coisa. Assumir se gay é outra. Na frente de um jornalista mto mas mto improvavel.

- Homofobia do delinquente é o sentimento q o incita a atacar provaveis Gays e não a se ele consegue realmente acertar quem é gay.

- Escolher gays, liga-se a associação de gays e fragilidade, mas + fortem. a ideia fixa de q gays não são dignos de direitos ou respeito.

Desculpe, polemizar no seu blog, Se quiser, retiro os comments.
Respeito todas as posições e acredito q sempre há várias verdades, cada um acredita no q quiser.
Bjs.

Ali disse...

Olá! sei q o post é antigo mas vou comentar mesmo assim kkk.
como vc disse:
" não era um lugar frequentado por gays, até porque precisa ser mais corajoso para ir até um lugar desses, pois o cara sbe que vai apanhar"
Vc também disse em outro post q as pessoas(gays)não podem se sentirem como vítimas e deixarem de frequentar lugares,sejam eles qual forem,por medo.Eu acho q os agredidos fizeram exatamente isso,não saíram na paulista para serem agredidos com lâmpados mas foram para exercerem seu direito de ir e vir independente de suas sexualidades,embora os agressores nem tenham feito distinção disso,simplesmente agrediram.
outra coisa:
"E nem todas as vítimas deste caso eram gays, como alguns mesmos já declararam."
Ora,nem é preciso ser propriamente gay para ser agredido por algum intolerante de plantão,lembram-se do caso do pai q teve a orelha mutilada por um agressor por q caminhava abraçado ao seu filho? eles não eram um casal gay!!!
"O que eu acho que pode ser o motivo da escolha por gays, neste caso, é achar que eles não reagem e seriam presas mais fáceis. Por que será que nunca atacam gays grandões ou fortões?"
Eu acho q não é exatamente por aí,eles além de trogloditas também são prudentes,não agrediram gays marombados AINDA! não tiveram peito pra isso,pois,na mentalidade de "macho" deles não existe distinção entre a equação:
gay efeminado+fragilidade=surra
gay marombado+força=resistência
Deu pra captar? rsrs
Abraços!

Postar um comentário

BLOG ENCERRADO!

We Love It:

We Love It:

Seguidores:

DPNN no Facebook

Twitter:

  ©Dois Perdidos Na Noite - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo