quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Feliz Dia do Orgulho Ateu!


Você pode ser traficante de armas, roubar doces de criancinhas, matar animais em extinção, destruir a floresta amazônica. Para tudo há perdão. Você pode até ser gay: as pessoas podem não gostar, mas em geral aceitam. A única coisa que você não pode ser, neste mundo, é ateu. Faça o teste. O mundo aceita tudo, menos a simples ideia de que existem pessoas que são indiferentes à existência de deus.

Para lembrar que os ateus existem, foi criado o Dia do Orgulho Ateu, a ser comemorado no próximo sábado, 12 de fevereiro. A data escolhida não foi aleatória: 12 de fevereiro é o aniversário de Charles Darwin, o pai da teoria da evolução das espécies.

No Brasil, há até mesmo uma organização criada para divulgar o ateísmo, a "Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos" (Atea). No site da Atea, pode-se ler:

"Reconhecendo esse fato, grupos minoritários há muito vêm lançando datas para marcar sua luta pela igualdade e pelo respeito, e contra o preconceito e a discriminação, como é o caso do dia da Consciência Negra e o dia do Orgulho Gay. À primeira vista, a palavra orgulho pode parecer fora de contexto, mas ela é uma tradição sólida entre as minorias, ao menos desde que se começou usar a expressão black pride (orgulho negro) nos Estados Unidos, há mais de quarenta anos. A ela se associou um dos slogans fortes da época, "I'm black and I'm proud" (sou negro e tenho orgulho disso), eternizada em 1968 pela homônima canção de James Brown.

Nesse contexto, falar em orgulho não é uma maneira de se dizer superior, apenas uma maneira de afirmar que não somos inferiores. Falar em orgulho é importante quando existe uma idéia socialmente difundida de que a sua identidade é intrinsecamente negativa e deve ser motivo de vergonha. Esse é o caso dos negros, é o caso dos homossexuais, e também o caso dos ateus. Falar em 'orgulho ateu' é dizer que temos orgulho de sermos quem somos. É dizer que nosso ateísmo é uma parte integrante de nossas posições perante o mundo, e que é uma vergonha que muitos de nós se sintam obrigados a esconder sua identidade para serem plenamente aceitos em seu círculo familiar, social ou profissional. É dizer que os ateus também são cidadãos e merecem, sim, respeito."

No ano passado, o grupo liderado pelo engenheiro Daniel Sottomaior tentou colocar alguns cartazes (as imagens deste post) em ônibus, divulgando o ateísmo. Obviamente, sem sucesso. Nenhuma das empresas procuradas aceitou, com argumentos diversos: Esconder o que pensamos seria desonesto. Ter um lugar à sociedade significa também que nossos pontos de vista têm o mesmo direito de exposição que todos os demais, atentando sempre para críticas em tom civilizado dirigidas às ideias, e não a pessoas.A indignação que os anúncios podem causar está ancorada na presunção de que discordar ou criticar ideias equivale a desrespeitar pessoas - ao menos no campo religioso. Isso está errado. Todas as ideias podem ser criticadas e debatidas.

Faça um experimento: saia de casa, com um amigo. Um com uma camiseta com a frase "Sou Gay e tenho Orgulho" e outra com "Sou Ateu e tenho Orgulho". Um doce para quem adivinhar quem será mais hostilizado nas ruas... possivelmente até linchado, dependendo da região... Para muita gente, não crer na existência de deuses (o real significado de ser ateu) faz de você um monstro.

Sottomaior vê semelhanças com o movimento gay, mas ressalta: "Usamos muitas analogias do movimento gay porque muitos deles acham que são a última minoria, mas somos nós. Os homossexuais já conseguiram seu lugar ao sol". Não há sequer dados sobre o número de ateus no Brasil. "Falha" do IBGE?

Maridão e eu temos muitos amigos religiosos: católicos, protestantes, espíritas, judeus. Em todos os níveis, desde o praticante esporádico ao padre e o pastor. Convivemos bem com todos, respeitamos a sua religiosidade e eles nunca tentaram nos converter, mas sabemos que é uma saudável exceção.

O fato de ser ateu não faz de alguém uma pessoa que é contra a religião alheia, nem que quer eliminar a fé do outro. Assim como "ser gay" não é se opor ao "ser hétero", tentando mudá-lo. Além disso, vale lembrar que ser ateu não implica em não ser religioso, um bom exemplo é o Budismo, uma religião sem deus.

Para quem quiser saber mais sobre a Atea: www.atea.org.br

Feliz Dia do Orgulho Ateu!

ps. bom final de semana aos leitores ateus e aos religiosos! Divirtam-se sem moderação!

.

8 Comentários:

FOXX disse...

gostei do primeiro cartaz...

Confraria disse...

se for gay e ateu entao fudeu né?

DPNN disse...

Confraria: se for gay, ateu, negro e mulher... fudeu mais ainda... ganha por acúmulo.

Paulo Braccini disse...

é isto querido ... vivas ao Orgulho Ateu ... meu post tb foi focado em função da data ...

vc encontra o documentário para baixar na net no link ...

http://megafilmes.biz/download-filme-a-natureza-da-existencia-dvdrip-rmvb-legendado-baixar-filme

bjux

;-)

Lady's disse...

não acredito em deus, mas respito quem acredita

LUH 3417 disse...

O que não dá é ficar brincando de "qual é a minoria mais hostilizada"! O preconceito parte da ignorância, e reivindicar respeito em um grupo religioso e ignorante (a maior parcela da nossa sociedade) é abafar uma reação negativa sem desconstruí-la. Adorei os cartazes, mas tenho medo da proposta da ATEA se perder.

Bom final de semana!

Junnior disse...

Como estou lendo o 'post' hoje, dia 12/02: feliz Dia do Orgulho Ateu para os ateus.
Beijos e bom 'finde'.

Lobinho disse...

O preconceito é o analfabetismo da alma.
Acredito em Deus.Nao esse deus de religioes.Um Deus que é Amor.

Tenham um excelente findi!
Beijos.

Postar um comentário

BLOG ENCERRADO!

We Love It:

We Love It:

Seguidores:

DPNN no Facebook

Twitter:

  ©Dois Perdidos Na Noite - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo