quinta-feira, 7 de abril de 2011

Desumano, Demasiadamente Desumano


Vendo o noticiário sobre a tragédia lá no RJ me lembrei de uma conversa que tive dia desses com o maridão.
 
Vocês sabem que eu acho natural alguém não gostar de gay, tão natural quanto gostar. São duas faces da mesma moeda. E acho que as pessoas devem ter o direito de dizer isso e fazer suas escolhas de vida com base no que pensam, sem pressão de nenhum dos lados. E sempre que posso faço questão de combater tanto a homofobia real quanto a paranóia que boa parte dos gays tem com a “homofobia”, vendo o problema até mesmo onde ele de fato não existe. Novamente duas faces da mesma moeda.

Certa noite eu estava num barzinho com o maridão e falei que era surpreendente, diante da quantidade de reportagens sobre homofobia no nosso noticiário, que a gente não tivesse notícias de um psicopata fazendo um ataque terrorista contra gays. Não tenho dúvida de que neste mundão há um bom número de psicóticos dispostos a tanto e com a carga de ódio necessária à empreitada, então temos de agradecer aos deuses não termos visto algo assim, e pedir para que as coisas continuem desta forma, já que diante de um maluco desses não há o que fazer. Não há campanha ou lei contra a homofobia que consiga comover um psicopata, pois o que o distingue de um ser humano normal é justamente a falta de distinção entre o certo e o errado. Isso explica o porquê de não manifestarem remorso e serem capazes de fazer coisas que nós, normais, consideramos absurdas.

Domingo saiu na Folha de SP uma reportagem sobre gangues intolerantes que atacam na região da Av. Paulista. O que mais me chamou a atenção foi o depoimento da delegada da Decradi (Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância), que afirmou que “o problema é que crimes de ódio têm características de onda”, o que significa que a repercussão e a divulgação, em vez de coibirem, levam a mais ataques. A delegada lembra que estas pessoas não têm medo de parar na cadeia,pois a lógica que seguem é exatamente a oposta: ser preso é motivo de orgulho, ou, nas palavras da delegada, “um atestado de devoção à causa”. Ela conta a história de um “skinhead” preso durante um ataque. Ele estava radiante, pois finalmente teria um BO para emoldurar e pendurar em seu quarto, igual ao do irmão.  Loucura, né? Mas explica perfeitamente o fato de os ataques se concentrarem na mesma região. E, paradoxalmente, quanto divulgação, maior a tendência a aumentarem. Mais ou menos como a questão do Bolsonaro: quanto mais mídia o cara tiver, mesmo que negativa, mais vai se tornar um mártir – e, consequentemente, mais votos vai conseguir. Sinuca de bico: se correr o bicho pega, se ficar o bicho come. E o homem é um bicho medonho, mata por futilidades tamanhas, como o fato de alguém torcer para outro time de futebol.  Nem precisa ser psicopata para tanto. Aliás, quase 14% dos inquéritos na Decradi são de brigas entre torcidas, contra 19,65 de crimes contra homossexuais e 29,91% contra negros e judeus. As brigas entre gangues correspondem a pouco mais de 15% dos inquéritos.

De volta ao ataque de hoje, no RJ. Maridão e eu trabalhamos com educação, já fomos professores em escola pública. É enlouquecedor. Ambos desistimos em nome da nossa sanidade mental. Mas o que aconteceu hoje nos choca pelo absurdo da situação, pela falta total de sentido. Ficamos atônitos em busca de uma explicação que não existe.

Não consigo imaginar o tamanho da dor de uma família que perde um filho. Felizmente, nunca aconteceu na minha. Mas acredito que não exista dor maior para um ser humano do que a que se sente ao enterrar um filho. Diante disso, só nos resta enviar nossos sinceros pêsames à família das vítimas.

Como diria David Luis Gallego: “A vida não é um acúmulo de casualidades, é uma sacanagem”.

8 Comentários:

Cores da Crise de meia idade! disse...

Crueldade.....Infelizmente a gente tem que ver a face dessa Medusa todos dias....seja ela uma dose cavalar como o que aconteceu, seja ela no espelho do banheiro...Não é brincadeira!

Wans disse...

Tb acho que ninguém precisa gostar dos gays, desde que deixem de pegar nos nossos pés.

E tb não imagino a dor que deve ser perder um filho. Só em pensar nos meus sobrinhos já dá uma dor enorme no peito. Tudo isso é muito triste.

Wans disse...

E ó, amei o show do Sigur Rós naquele Tim.

Dan disse...

cara, nem temos palavras né? Só torcer para que o sofrimento não seja tão profundo, apesar disso ser quase impossivel!

Paulo Braccini disse...

A insanidade humana é algo q nos acompanha desde sempre ... a diferença é q hoje ela chega até nossa sala na hora do almoço ...

Mesmo assim não dá para entender, aceitar, conviver ... sempre ficaremos perplexos ...

Junnior disse...

Eu fiquei mesmo chocado. Nem dormi direito. As imagens da tevê ficaram impregnadas na minha mente.
Bom final de semana a todos.

Pimenta disse...

Eu, no alto da minha crueldade, só me pergunto porquê não aparece um louco assim e fuzila alguns corruptos no congresso nacional...
Na china,aconteceu três vezes ano passado.Um adulto, armado de faca de cozinha,pirou e atacou as crianças na fila da saída da escola.Foram três escolas diferentes, três malucos diferentes.Tudo em menos de dois meses.
Concordo que esse tipo de notícia,especialmente as que propositalmente visam a comoção nacional em torno de um crime não é saudável.Nem aí nem na china.
bjo

Lobo disse...

Eu não entendo a dor de um pai que perde um filho. Mas eu entendo o nó que dá na cabeça de uma criança que vê alguém ser assassinado na sua frente. Aquele mar de sangue esvaindo. Been there. Nas entrevistas das crianças, aqueles olhares me era tão familiares que chegavam a ser perturbadores. Elas vão ficar bem.

Mas suas vidas nunca mais serão as mesmas.

Postar um comentário

BLOG ENCERRADO!

We Love It:

We Love It:

Seguidores:

DPNN no Facebook

Twitter:

  ©Dois Perdidos Na Noite - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo