domingo, 3 de julho de 2011

Filmes Gays Preferidos:


Alguns leitores pediram por e-mail uma lista com nossos filmes “gays” preferidos, então aqui vai ela, devidamente comentada. Não são necessariamente filmes nos quais a homossexualidade seja o tema principal. Não são longas-metragens sobre “ser gay”, mas filmes com “seres gays” . Se há algo em comum entre eles, além do fator gay, é a presença de ótimos roteiros - de nada vale uma nobre intenção engajada sem uma estória/história interessante para contar. Trata-se de uma lista estritamente pessoal, não são os melhores filmes, mas apenas alguns dos nossos preferidos – ou aqueles dos quais a gente se lembrou. Seguem os 16 filmes, EM ORDEM ALFABÉTICA:

A Casa do Fim do Mundo (A Home at the End of the World, 2004). Filme pra lá de bacana, embora tenha passado praticamente passado em branco, indo direto para o DVD sem a exibição nos cinemas. Do mesmo diretor de “As Horas” (Michael Mayer), conta a história de dois amigos-amantes desde os tempos de infância nos anos 60 até a idade adulta, em plena ´decada de 90, quando uma garota surge entre eles criando um triângulo amoroso. 

Beleza Americana (American Beauty, 1999). Ótimo roteiro, elenco de primeira, um dos últimos grandes filmes a levar o Oscar na categoria principal. Conta a história de um pai de família tipicamente loser, com emprego medíocre e uma família que o despreza. E ele já começa o filme nos contando que vai está morto. Como morreu? Quem o matou? É preciso ver o filme para descobrir... 

Brüno (idem, 2009) – besteirol de primeiríssima, para rir sem a menor culpa das piadas de extremo humor negro que surgem às centenas ao longo do filme protagonizado pelo ator Sacha Baron Cohen. 

C.R.A.Z.Y. - Loucos de Amor (C.R.A.Z.Y., 2005) – este filme canadense é espetacular, e o que melhor aborda um lado da homossexualidade muitas vezes deixado de lado pelo cinema: a relação entre pai e filho. O filho, no caso, é Zac Beaulieu, garoto que se sente diferente dos irmãos e fará de tudo para não decepcionar seu pai, mesmo que isso signifique lutar contra a própria natureza. 

Cidade dos Sonhos (Mulholland Drive, 2001) – David Lynch tem aqui sua obra-prima, o exato meio-termo entre as experimentações e a narrativa clássica. Um dos filmes que eu mais revi, e sempre permite uma nova descoberta. A cena do clube Silencio é hipnotizante! Filme contra-indicado para gays ciumentos com tendências homicidas... 

Delicada Relação (Yossi & Jagger, 2002) – Este filme israelense é, sem dúvida alguma, o mais belo longa com a temática homossexual já feito neste e em outros mundos. É tudo aquilo que o misógino “O Segredo de Brokeback Mountain” queria ter sido e nunca chegou nem perto de ser. Conta a história de dois oficiais israelenses numa base na fronteira entre Israel e o Líbano. A cena final é a mais bela expressão de amor que já vi em um filme, e de uma sutileza rara!

Hedwig – Rock, Amor e Traição (Hedwig and the Angry Inch, 2001) – Este filme é um musical sem comparações! Inventivo, ousado, o mais punk dos filmes gays. Um chute no saco – dado com sapato plataforma de drag queen! A cantora Hedwig – que nasceu homem, na Alemanha Oriental - vê a chance de mudar de sexo e ir morar nos EUA. Mas a cirurgia dá errado (e sobra a polegada do título original), e ela ainda vê o namorado ganhar fama e fortuna roubando suas canções. Veja, reveja, reveja outra vez. Se não viu até hoje, você não sabe o que é cinema gay. 

M. Butterfly (idem, 1993) – dirigido pelo amado (por mim) maluco David Cronenberg, o filme é baseado numa peça de teatro, que por sua vez se baseia na famosa ópera de Puccini. Conta a história de Rene Gallimard (Jeremy Irons) , diplomata francês em Pequim que  assiste à apresentação da ópera “Madama Butterfly” e fica louco pela atriz principal. Ambos começam um romance pra lá de intenso e... melhor parar de contar aqui! Quem é phynna e conhece a ópera sabe o que esperar. 

Madame Satã (2002) – melhor filme brasileiro com esta temática, conta a história de João Francisco: travesti,  marginal e figura lendária no Rio de Janeiro dos anos 30. Lázaro Ramos está sensacional no papel do protagonista!  Um belo exemplo de filme bem sucedido sem fazer a menor concessão! 

Minha Adorável Lavanderia (My Beautiful Laundrette, 1985) – primeiro longa com temática homo que vi, conta a história da paixão entre Omar (de família paquistanesa) e o inglês Johnny. Ambos precisam lidar com o preconceito em vários campos  - além da falta de dinheiro! Mas eles possuem a lavanderia do título, onde encontram um refúgio das dificuldades da vida.

Morte no Funeral (Death at a Funeral, 2007) – humor britânico é daqueles que matam de rir. Este filme não é diferente.  Sinopse: Uma família desajustada é unida para o enterro do patriarca. Quando um homem misterioso aparece e ameaça chantagear a família com um embaraçoso e obscuro segredo do falecido, seus dois filhos, Daniel (Matthew Macfadyen) e Robert (Rupert Graves), tentam de tudo para não deixar que os presentes descubram. Não vejam a refilmagem americana, assistam ao original britânico! 

O Clube dos Corações Partidos  (The Broken Hearts Club: A Romantic Comedy, 2000) – linda comédia romântico-dramática sobre um grupo de amigos gays. Embora cada um seja totalmente diferente do outro, a amizade que os une supera as dificuldades e os ajuda a enfrentar os problemas que surgem pelo caminho. 

Plata Quemada (idem, 2000). Na falta de um adjetivo melhor, digo apenas que este filme é f@%$#! Conta a história de um casal de assaltantes gays, fugindo da polícia após um assalto mal sucedido e lutando contra seus fantasmas pessoais. Duvido que alguém veja o filme e torça pelos mocinhos! Esqueça tudo o que já viu sobre cinema gay!

Talentoso Ripley (The Talented Mr. Ripley, 1999) – Os cinéfilos hão de discordar, mas esta adaptação do livro de Patricia Highsmith é um zilhão de vezes melhor do que “O Sol por Testemunha”, com o Alain Delon  - além de ser bem mais fiel ao romance no que diz respeito ao caráter homoerótico da trama. Tom Ripley vai à Europa buscar o playboy Dickie a pedido de seu pai, mas acaba se envolvendo com o rapaz numa amizade cheia de segundas e terceiras intenções, que vai render uma trama policial de deixar o espectador grudado na poltrona.

Traídos pelo Desejo (The Crying Game, 1992) – este filme marcou uma geração. Ótimo roteiro, que conta a história de um terrorista do IRA que é encarregado de vigiar um soldado capturado. Após o falecimento do militar, o guerrilheiro vai dar a notícia à garota misteriosa sobre qual o prisioneiro tanto falava e... só vendo! Contar mais estragará sua diversão!

Tudo sobre a minha mãe (Todo sobre mi madre, 1999) Poderia colocar aqui toda a filmografia do diretor espanhol Pedro Almodóvar, um dos preferidos desta dupla aqui do blog. Mas como é pra ficar com um só, indico este que maridão adora. Sinopse: “No dia de seu aniversário, Esteban (Eloy Azorín) ganha de presente da mãe, Manuela (Cecilia Roth), uma ida para ver a nova montagem da peça "Um bonde chamado desejo", estrelada por Huma Rojo (Marisa Paredes). Após a peça, ao tentar pegar um autográfo de Huma, Esteban é atropelado e termina por falecer. Manuela resolve então ir de encontro ao pai, que vive em Barcelona, para dar-lhe a notícia, quando encontra no caminho o travesti Agrado (Antonia San Juan), a freira Rosa (Penélope Cruz) e a própria Huma Rojo”.


A maioria dos filmes desta lista você encontra no blog Intercine Gay, do nosso amigo Lobinho. 

 Por que 16? Uma explicação simples: porque não conseguimos cortar 6 da lista... E você? Quais os filmes que figurariam em sua lista pessoal?

9 Comentários:

Anônimo disse...

Olha, eu não vejo a menor graça nesse filme A casa do fim do mundo, mas para ele estar em primeiro, deve ter uma explicação... vou rever para saber se deixei passar alguma coisa, mas a verdade é q quando vi, não achei nada de mais. Acho que a chuva de ótimas criticas a ele, me fez vê-lo esperando ser apoteótico e no fim.... não achei naaaaaada de interessante.

Bruno é excelente, quase morro de rir. Muito cínico o Sascha.

Irei dar uma conferida nestas dicas pq a maioria eu ainda não vi ;p

Lobinho disse...

Gostei da lista de vcs.
Confesso que sou fan tb de Almodóvar.Apesar da crítica nao ter gostado de Abraços Partidos,este é um dos meus prediletos.Queria saber a qqr custo o motivo do título do filme.

Sinceramente,nao consigo fazer um Top 10.
Ah,brevemente completarei a lista desses filmes.Arigatou,ne!
Beijos.

Lady's disse...

adoro delicada relação, só faltou o Summer Storn, um filme alemão que eu adoro, alias adoro filmes alemaes

DPNN disse...

Anônimo lá de cima: a ordem dos filmes não é de preferência, é alfabética - só por isso "A Casa..." aparece em primeiro lugar.

Lobinho. Tenho o DVD de "Abraços Partidos", mas ainda não vi. Depois de assistir eu comento por aqui.

Lady's. Sommersturm é legal, boa lembrança!

Paulo Braccini - Bratz disse...

Adoro estas listas, sempre tem algum q não vi ... bora ver ...

melo disse...

olha, que lista.

confesso que dela toda não assisti só o primeiro, o resto recomendo demais mas, Hedwig é:

SENSACIONAL
ESSENCIAL
PRIMORDIAL
DOCARALEO!!!

Junior disse...

Olá. Muito boa sua lista mas na minha eu também incluiria este título: Shortbus. Me vi em um personagem. Abs pra vc.

Anônimo disse...

Faltou nessa lista os excelentes "Do começo ao fim", "Trick", "Shelder" "Maurice", "Crepúsculo de uma paixão" que não é tão bom assim mas é com o Léo di Cáprio rsrsrs Todos com dowload grátis no www.intercinegay.com.br do nosso queridíssimo Lobinho!

Josy-chan disse...

Não conhecia Delicada Relação, e Plata queimada eu decidi baixar desde que li sua resenha ontem;
Senti falta de Alexandre na lista...

Postar um comentário

BLOG ENCERRADO!

We Love It:

We Love It:

Seguidores:

DPNN no Facebook

Twitter:

  ©Dois Perdidos Na Noite - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo