segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Morde a Fronha e Assopra

Terminou na última sexta-feira a novela global “Morde & Assopra”, com direito a final feliz de seus dois casais gays. Casal gay? ? ? ? ? ? ? ? Pois é, a novela tinha nada menos do que dois, mas, como maridão e eu sempre discutíamos entre um porre e outro, eles foram praticamente ignorados pela nossa "militância". Personagem gay só serve, para esse pessoal, se for pra fazer celeuma em cima da questão da homofobia. Se tiver uma trama lacrimejante, com o cara sofreeeendo para se aceitar, melhor ainda. Se o infeliz apanhar ou morrer, vira mártir. E se der pra fazer proselitismo político com o famigerado “beijo gay”, nem se fala! Personagem gay carismático e queridinho do público não vale. É quase um “traidor do movimento gay”.

Pois os quatro personagens da novela eram interessantíssimos e dialogavam com uma boa parcela da produção cultural gay contemporânea.  Áureo (André Gonçalves), Josué (Joaquim Lopes), Xavier (Anderson di Rizzi) e Elaine (Otaviano Costa) caíram no gosto popular. Quem acompanhava a novela torcia por eles. Não porque eram gays, ou porque fossem coitadinhos dignos de pena – mas sim porque eram personagens carismáticos, se eram gays ou pinguins mutantes, era algo indiferente. Embora muita gente só goste de ver o mundo com olhos alarmistas, é mais ou menos parecido com o que acontece no mundo real...

Dentre todos, o personagem mais legal era, sem dúvida, o Áureo. Afetadíssimo, primeiro tínhamos a impressão de que ele só se fazia de gay para pegar a mulherada, depois ele foi se mostrando ao conhecer o caipira Josué.  A dubiedade durou a novela toda, até que, no penúltimo capítulo, Josué se revelou e pediu ao amado que não se casasse com a gostosona da trama – devidamente abandonada no altar!

Incrível – mas totalmente imaginável – nossa “militância” não dar valor a uma cena como essa! É no mínimo considerável ver que uma novela das sete mostre um homem largando a noiva no altar para ficar com outro cara, e todos os telespectadores – e não apenas os gays - fiquem satisfeitos, afinal de contas, torceram para isso! Não dá pra ignorar a dimensão de algo assim... Maridão até me perguntou no sábado, se algum grupo gay publicara uma carta aberta a respeito... até parece!

O outro “casal” da trama era mais surreal. Elaine (foto) na verdade era um picareta que se vestia de mulher para fugir de suas três ex-esposas, que cobravam pensão alimentícia. Só que o guarda Xavier cai de amores por ele(a), até o dia em que o cara dá um porre na pretendente, e ao apalpar descobre que "ela" era "ele"... Mas é claro que terminam juntos... No final, os dois casais fogem num fusca para São Paulo, terminado a novela numa boate gay fazendo um número a lá “Priscila, a rainha do deserto”.

Novela pode até ser uma grandiosa bobagem (eu não acho), mas é algo que faz parte da identidade cultural do nosso país. Que "Morde & Assopra" tenha mostrado personagens "gays" aceitos de forma tão espontânea não deixa de ser um sinal de que, talvez, nem só de lampadadas na av Paulista seja feita a nossa sociedade, como alguns querem fazer crer... 

13 Comentários:

Marcelo HD disse...

Eu concordo com seu texto EM PARTES.

Não acompanhei essa novela, mas vi algumas cenas dos quatro personagens descritos aqui. Há uma semelhança muito comum em todos eles - o que foi responsável por sua popularização e aceitação: o quarteto era completamente CARICATO. Dessas interpretações forçadas, circenses,milimetricamente planejadas para agradar a grande massa de telespectadores.

Quando uma TV se dispõe a mostrar gays reais, sem afetação, que levam uma vida normal, como foi mostrado na novela "Insensato Coração", a grande massa(essa que segundo vc torcia para os personagens), se revolta por perceber que qualquer um pode ser homossexual. Até o colega de pelada do final de semana.

O fato é, que a homossexualidade ainda é tratada como um tabú no Brasil. E somos um povo preconceituoso e HIPÓCRITA porque negamos o preconceito a todo custo, mesmo sentindo.

E na TV isso é tratado da pior maneira, pois envolve não só a grande massa, mas também a grande mídia publicitária que alimenta esse sentimento que hoje vemos. E que já foi pior!

Lobinho disse...

Era a única novela que acompanhava. Hoje será o último capítulo aqui. Como sou curioso,vi pelo YouTube .Eu adorei.

FOXX disse...

pois é, nosso qrido movimento gay na verdade mandou carta contra o Aureo, pq ele era afetado demais. o movimento só aceita aceitação se a aceitação aceita homens gays q não pareçam gays. deu pra me entender?
estou estranhando seu blog, tow concordando sempre com vc agora.

Anônimo disse...

As pessoas criticam os gays afeminados e acham que gay "caricato" não representa a comunidade e tal... acho engraçado. Foram justamente os afeminados que abriram caminho para todos os outros...

S.A.M disse...

E em pensar que nao assisti um capitulo de nenhuma novela!

Oh God quem sou eu na society?

Wans disse...

Eu não vejo novela de nenhum tipo, mas sempre soubre da existência desses personagens através da militância.

Muñoz. disse...

Eu achei o final passável.
O pouco que vi da novela foi por causa daquele pessoal do SPA que eu achava mega engraçado. De resto, acho que é o mesmo feijão com arroz de sempre.
Enquanto eu não ver um casal gay como personagens principais de uma trama, fazendo tudo o que tem direito, pra mim será apenas mais um.

Beijo Meninos.

Fred disse...

Concordo em gênero, número e grau! Aliás, sábado mesmo conversamos sobre isso por aqui e - para mim - a despretenciosa novela das sete conseguiu ser mais "ousada" do que aquele dramalhão mexicano que Insensato Coração apresentou. Com certeza merece carta aberta! Eu, pelo menos, assinaria! Pena que a maioria não pensa assim, né? Adorei ler sobre isso e com essa perspectiva (tão similar a minha) num blog de Blogsville! Hugz!

Dan disse...

cara. o final foi impagável. Me diverti horrores e realmente concordo que os gays caricatos devem ter seu espaço sim. Qts os senhores conhecem na vida real? Eu nem tenho dedos nas mãos pra contar.

bjos

Frederico disse...

olha não sou noveleiro de plantão, até por que novela só se ass em sábados e vc já sabe tudo o que aconteceu na semana, mas eu gostei do final dos gays, dei muitas risadas com o Aureo, e não acho que gay não pode ser cômico e divertido

Serginho Tavares disse...

parabéns pro Walcyr Carrasco e pra você pelo belo post
beijossss

Paulo Braccini - Bratz disse...

Não assisti a novela em seu todo só mesmo o final ... e sou obrigado a concordar ... o WC foi MARA!

beijão ... tb estava com saudades de vcs

Junnior disse...

Olha, eu tenho que discordar que personagem gay só serve para a militância se for pra fazer celeuma. Não sou militante de nada, mas tenho que defender a classe.
Quando o casal gay de alguma novela - geralmente a das 9 que é + assistida - atinge a simpatia e, principalmente, a curiosidade do público e da própria militância, esta é a primeira a enviar comunicados à emissora parabenizando o enfoque e ainda pede para que o beijo gay seja aproveitado naquele casal específico.
No caso dos personagens Áureo e Josué, vocês afirmaram que caíram no gosto popular. Vocês e nós sabemos disso porque a mídia nos informou e os 2 constantemente eram tema de sites e blogs (gays ou não).
Por outro lado, ninguém aguenta mais pedir, falar, comentar sobre beijo gay, muito menos com a emissora que cansou de afirmar (em respostas às associações de direitos LGBT) que nunca fará apologia à homossexualidade e, portanto, não permitiria beijos na boca entre personagens gays.

Postar um comentário

BLOG ENCERRADO!

We Love It:

We Love It:

Seguidores:

DPNN no Facebook

Twitter:

  ©Dois Perdidos Na Noite - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo