quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Gays Metem o Pau Em Caio Castro

Acho o global Caio Castro (foto) um péssimo ator, incapaz de dizer uma fala na novela sem aquela expressão imutável que lembra uma máscara - além de bem feio e, por conta disso, um verdadeiro sinal da decadência da palavra galã. Mas nem por isso dá para aceitar a patrulha gay que caiu em peso em cima do cara (no sentido figurado, mas desconfio que fariam o mesmo no sentido literal) por conta de uma declaração que ele deu à revista Quem (que eu não faço ideia do que seja) e foi, como sempre ocorre nos casos de sensacionalismo, cortada para "causar".

Ao ser perguntado sobre sua (suposta) fama de "pegador", o feinho se saiu com essa dose de "sincericídio":

 "Não acho que sou pegador. Mas vou te falar uma parada também, se você não tem fama de pegador e é solteiro, fica com fama de veado. Então, antes pegador que veado (sic), né?".

Foi o suficiente para a patrulha lançar campanha na Internet chamando o cara de homofóbico. Em parte, porque os sites só publicaram o seguinte:

Caio Castro afirma: "Antes pegador que veado(sic)".

Segundo Caio Castro, a frase cortada "ficou maldosa. Ficou uma sensação de preconceito ao público gay, e qualquer tipo de preconceito é um atraso"

Lendo a declaração na íntegra, não vejo o menor sinal de preconceito, pra falar a verdade. Ele apenas está dizendo que, no mundo real, é melhor ficar com fama de pegador do que de viado. Sejamos sinceros: para um ator jovem, supostamente galã (tem quem ache), em início de carreira, o que seria melhor? Que achassem que ele é gay? Claro que não. É  melhor as garotinhas pensarem que ele pega todas. A gente mesmo sabe de outros trocentos galãs (?) globais e da Record que são gays, mas não assumem pois prejudicaria a carreira (em tempo: não acho que eles têm a obrigação "de classe" de sair do armário). E isso não é algo que só ocorre no Brasil. Muitos atores gays internacionais ficam com sérias restrições de papéis depois de assumir. Basta pensar no ator Rupert Everett, que declarou ao jornal The Guardian que perdeu vários papéis de protagonistas em filmes após sair do armário. 

Isso vendo pelo lado profissional. Agora vendo pelo lado pessoal, qual é o problema de um cara hétero preferir ter fama de pegador do que de gay? Um cara hétero tem de ter o direito de dizer que não curte essa história de "homem com homem" sem ser carimbado com o rótulo de homofóbico.  Menos vitimismo, gente! Há alguma diferença entre se assumir hétero e querer eliminar os gays da face da terra. Aquela história de "diversidade" não vale se a balança só pender pro "nosso" lado. Não custa lembrar, liberdade de expressão é a liberdade do outro dizer algo de que eu não gosto; do contrário vira ditadura do pensamento único. Ainda bem que o famigerado PL122 não foi aprovado... se a patrulha gay já é assim sem ele, com ele o ator iria parar atrás das grades... enquanto péssimas atuações não forem crime, dá pra deixar o cara solto.

Se o politicamente correto tomar conta deste mundo, me avisem que quero procurar outro mais legal pra viver...

Ps. Hoje o autor Aguinaldo Silva saiu em defesa do seu "galã"(sic). Concordo totalmente com o que ele disse. Vejam aqui.
.
.

17 Comentários:

FOXX disse...

mas vc está mesmo considerando q somente gays se incomodaram com o q ele falou?

AugustoCrowley disse...

Também acho que embora um homem hetero tenha que aprender a nos aceitar, não quer dizer também que ele agora tenha que preferir algo que ele não gostaria de ser. Quantos gays sofrem com sua condição?
Agora eu adoro ele, pra mim é um bofe escandalo, mas me decepciona quando dá entrevista, de fato ele precisa amadurecer em muttos sentidos.

Lobinho disse...

Pelo pouco que li,achei-o imaturo.
Abraços.

Wans disse...

Eu não acho que ele foi homofóbico, mas que foi uma declaração infeliz foi.

Frederico disse...

como ator acho ele péssimo, mas pegava ele fácil hauhsuuahsua
e acho que foi tudo muito exagerado, hoje qualquer coisa que vc fala sobre gays corre o risco de apontarem como homofobia, claro que nao foi uma colocação feliz, mas chamar de homofobia é exagerado, eu vejo isso como os meus amigos heteros que volta e meia falam um para o outro "deixa de ser veado" ou coisas do gênero, não vejo isso como homofobia ou preconceito, por que não é o que vc fala, mas como fala. Eu sempre falo para uma amiga deixar de ser gora, e ela é gorda, mas nao significa q eu nao goste dela ou que eu seja preconceituoso com gordos

Gay Incomum disse...

Qual o problema em ter fama de gay se você não o for? Então pra ele é melhor sair pegando todas, só pra manter uma postura de garanhão na sociedade? Ele não se garante que precisa desse tipo de artifício?
Ele disse que qualquer preconceito é um atraso, mas a frase dele é outro atraso. Me lembra o tempo da minha adolescência em que eu que me via obrigado a encontrar uma namorada pra não ser tachado de gay.
Quem não é gay, não tem porque se incomodar com o que os outros falam.
Imaturo talvez seja mesmo a palavra que se encaixa com seu discurso.

Paulo Braccini - Bratz disse...

quem é mesmo Caio Castro? Hoje em dia qualquer um fala o q quer e dá ibope ... pqp!

S.A.M disse...

Ele é um imbecil de carteirinha, nunca vi igual. Queridão, tava analizando aqui o que voce disse, pensei no 'exagero' das reações. Mas se alguém dissesse: "....melhor ser considerado/ser branco que negro né?" não seria repugnante tambem?

Esse tosco nem deve de verdade ter feito isso intencionalmente mas ele deveria no mínimo ter explicado melhor o argumento dele.

Acho que você, assim como muitos pegou um nojo da patrulha exagerada, só não devemos esquecer que as vezes temos sim - quando realmente por pertinente - o direito de reclamar.

beijao pros dois!

DPNN disse...

Foxx, eu recebi um montão de mensagens de gays me perguntando o que tinha achado do episódio, por isso me referi especificamente às reações do público gay - e pelo foco aqui do blog, é claro.

SAM, homofobia (mesmo quando real) e racismo não são comparáveis, embora ambas sejam manifestações de preconceito abomináveis. Existe uma diferença gigantesca entre as duas coisas. Escrevi sobre isso certa vez, vou ver se faço uma versão resumida para publicar aqui no blog.
Claro que temos o direito - e diria até o dever - de reclamar das coisas erradas deste mundo, concordo 200% contigo.

Alex M. disse...

Concordo com o texto. Patrulhamento excessivo pode acabar encontrando o preconceito às avessas. Também acho que ele não falou nada demais. E, goste ou não goste eu, errado é o mundo, não o que ele falou.

Quanto ao rapaz em si, ao ator, acho inexpressivo demais pra perder o nosso tempo comentando.

Fred disse...

Disso aqui "acho o global Caio Castro um péssimo ator, incapaz de dizer uma fala na novela sem aquela expressão imutável que lembra uma máscara" até isso aqui "liberdade de expressão é a liberdade do outro dizer algo de que eu não gosto; do contrário vira ditadura do pensamento único" o texto tá irretocável!
Por favor, seja vereador em Blogsville! Meu voto é teu! Hehehehe! Hugz, seu perverso adorável!

Junnior disse...

Então, estamos quites (rsrs), mas não sairei sem comentar.
A sua opinião foi compartilhada com Aguinaldo Silva, o autor da novela que o Caio está trabalhando, e discordo pelo seguinte:
1º. Como mencionei na postagem do IdG, acredito que o ator tenha dito aquilo porque estava incomodado com o 'gaydar' da galera do Twitter que já o chamou de viado antes por causa do conteúdo das fotos que ele mesmo publicou na rede social em maio deste ano.
Seria razoável e nenhum gay teria achado nada demais se ele falasse que não gostou da repercussão porque é heterossexual. Ponto.
Ou se preferisse, como fez, ocultar sua mágoa, poderia reafirmar a sua heterossexualidade sem necessariamente diminuir - ou sequer falar sobre - os gays ou quem quer que fosse.
Há tantas possibilidades:
a) não sou pegador (ele negou que fosse), mas adoro que achem isso de mim;
b) sou espada, então tá tudo certo;
c) tem gente falando que sou gay, mas não sou. Gosto de mulher.
Se fosse pra falar algo negativo sobre a classe artística ou sobre a própria Globo, ele teria medido as palavras, não é?
Já pensou se a jornalista tivesse perguntado:
- Você não tem medo de ser estigmatizado como galã ou de ser mais um rostinho bonito nas novelas?
Suposta resposta dele:
- Melhor ser galã e bonito do que ser um ator feio que só faz pontas nas novelas ou ganha uma merreca no teatro.

Eduardo disse...

Desde a matéria que vi aqui no site sobre Adele eu tinha prometido pra mim mesmo não mais vir aqui. Mas como esse caso do Caio Castro me chamou muito atenção, junto com sua avaliação do ocorrido, resolvi abrir uma secessão - a última, aliás.

A declaração do rapaz foi muito infeliz, e a reação do público gay não poderia ser melhor (e não foram só gays, muita gente que não é se revoltou). Sei que ele é jovem e imaturo, mas deve-se pensar antes de falar, ou melhor, deve-se pensar. Não considero que as criticas foram à pessoa, mas sim ao que foi dito. Ao preconceito que alguns insistem em propagar em forma de graça mesmo sabendo que são de péssimo gosto - assim como comer grávidas e seus bebês.

O politicamente correto é atacado justamente por pessoas que não conseguem viver sem achincalhar o outro, sem xingar alguém de viado, negrinho, macaco, baleia, e por aí vai. Querem agora o direito ao preconceito.( não é pra qualquer um, viu?!)

São pequenas frases como a dele, que vão se formando e propagando ignorância e discriminação contra nós, e o resultado são os belos casos de agressão na Paulista, na Augusta e em todo o mundo. Vamos dá um basta nessas 'brincadeiras'. Se tiveram graça e validade no passado, ficou por lá. No século 21 não há espaço pra isso.


ps: Soube que há oxigênio em Marte. Se quiser se mudar hoje, posso ajudar com as malas.

Edilson Cravo disse...

Ele é apenas mais um jovem que foi criado em uma sociedade extremamente preconceituosa e hipócrita, apenas tinha um jornalista por perto para que ele pudesse expor um sentimento que muitoooos tem e não falam porque não tem a mídia a seu favor. Lamentável, mas ele será o único???rs
Abraços.

Fil disse...

As pessoas esquecem que a frase dita pelo autor é uma das mais clássicas entre héteros, que escutamos sempre por ai. As vezes acho sua opinião um pouco "revoltada" demais, principalmente com novas tendências e à militância gay. Não que isso seja ruim, sempre é bom sair do meio comum e ler opiniões diferentes.

Sobre este caso, concordo em partes com você. Hoje em dia não se pode nem dizer "não gosto de gay/ homossexualidade", parece que "nós" queremos que todos nos amem e nos aceitem sem nem questionar. Cada um gosta do que quer, acha certo ou errado o que quer. Fraco é quem precisa ser "aceito" pela sociedade. Claro que o preconceito é algo a ser combatido, mas ficar "causando" com assuntos assim é ridículo. Graças a essa nova "tendência" do movimento gay, de inclusão, que temos personagens super toscos em novelas e outras mídias representando a nós, ridicularizando e estereotipando ainda mais a imagem dos gays. Eu mesmo não gosto das comparações que alguns colegas/ héteros fazem de mim, sempre associando gay à coisas alegres e do gênero, mas também acho ótimo escutar um "você nem parece gay". Felizmente ou infelizmente, é essa nossa realidade e, por conta disso, temos que mostrar nossas capacidades e qualidades acima de nossa orientação sexual, somente assim o preconceito com a homossexualidade terminaria, pois seria deixada de lado.

Referente ao comentário do Eduardo, sobre quem ataca o politicamente correto é porque gostam de xingar, eu concordo. Não que eu goste de sair xingando todo mundo, mas é preciso que todo mundo saiba se por no lugar e se respeitar, tendo prioridade de suas ações e o que elas representam e afetam, desse modo ninguém se ofenderia assim tão fácil. É difícil, mas vamos tentando !! kkk

É raro eu comentar no DPNN, mas quero parabenizar pelo blog, que sempre acompanho. E também agradecer, não lembro em qual post, por comentar sobre Nina Hagen. Graças a ele conheci essa excelente cantora, que virei fan de carteirinha !

Espero não ser apedrejado kkk Bjos

E para quem curte quadrinhos, visitem meu blog, o HQs By Fil:

http://hqsbyfil.blogspot.com/

Bjos

roberto.sp disse...

Fil... sua frase:"Eu mesmo não gosto das comparações que alguns colegas/ héteros fazem de mim, sempre associando gay à coisas alegres e do gênero, mas também acho ótimo escutar um "você nem parece gay"." Extremamente patética e dá margem a entender que vc se ve disposto a heteronormatividade, como se gay diferente desse esteriotipo,fosse inferior... AFF vc precisa crescer um pouquinho mais, o espelho que te reflete te causa medo e isso é sinal de incapacidade de lidar com o diferente e principalmente com a própria sexualidade e questões de gênero... em tempo não nascemos homens e mulheres, nos tornamos homens e mulheres mediados pela cultura.

Welton Trindade disse...

Ah,é assim! Então vamos ver o seguinte: "E se ele dissesse: "antes pegador que negro" E aí? Vc também o apoiaria, né?: Claro. No Brasil, não há galãs negros!
E viva sua imaginaçaõ. Você e o Agnaldo, um desserviço aos LGBTs, saíram em defesa do ator indo em uma linha de argumentação (galã) que nem o próprio utilizou] Isso é invenção de vocês dois.

Postar um comentário

BLOG ENCERRADO!

We Love It:

We Love It:

Seguidores:

DPNN no Facebook

Twitter:

  ©Dois Perdidos Na Noite - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo