terça-feira, 26 de outubro de 2010

Consultório Sexual dos Dois Perdidos Na Noite




Ultimamente tenho visto em outros blogs o pessoal que é solteiro/encalhado discutindo sobre as dificuldades de arrumar namorado. Como eu não passei por nada disso, acompanho tudo com interesse antropológico e discuto mais tarde a respeito com o maridão. Vamos a alguns dos casos:
.
1) Uma das discussões que eu acompanhei em vários blogs foi a questão "ativo", "passivo" ou "versátil". Nunca tinha parado pra pensar a respeito, mas realmente deve ser um problema! Você vai lá, se interessa por um cara, e descobre que ele só faz passivo ou ativo, exatamente como você! Particularmente eu acho que o pessoal acaba se limitando, eu jamais conseguiria namorar um cara que viesse com “isso não”, “nem isso”, mas cada um sabe o que melhor lhe agrada. Mas depois não pode reclamar que só arruma amigo, né? A gente sempre vê grupos de amigos juntos nos bares/baladas e fica se perguntando se algum deles faz sexo sem precisar pagar...
Nossa dica: sabe aquele velho ditado, cu de bêbado não tem dono? Não há convicção (sua ou do cara) que resista a um porre. Veja o exemplo mais famoso do mundo virtual:


2) Outro drama queer: como se livrar da amiga hétero descolada que insiste em ir à balada com você? É claro que você não quer se livrar da racha, afinal, quem vai fazer a sua chapinha e ouvir você reclamando dos homens durante toda a semana, né? Mas e quando ela gruda? De vez em quando a gente vê uns caras nas baladas ou bares que estão sempre com a mesma amiga, anos a fio, e nunca os vimos com outros caras! Não adianta fingir que está doente, ela vai querer passar a noite cuidando de você. Um amigo tinha uma destas rachas particulares, e quando ele arrumou um marido, ela fez de tudo pra separar, saiu falando mal do cara pra todo mundo... sorte deles que ela não conseguiu a separação dos dois...
Solução: faça como nossa diva Silvetty Montilla. Olhe para a racha e grite: eu quero é rola!


3) Falando em separação, outro ponto que gera comentário é o ex. Eu não tenho ex, maridão a mesma coisa - o que não nos impede de morrer de ciúmes de algum ex imaginário. Mas o problema que percebemos é a saia justa de você chegar num lugar e dar de cara com o ex. Se ambos estão sozinhos, pode até rolar o revival, mas e se o outro estiver acompanhado? E o pior, e se você ainda gosta dele? Já vimos algumas boas brigas por situações dessas pela noite. De vez em quando a gente brinca e estabelece a divisão de locais que cada um pode frequentar se um dia terminarmos, para evitar problemas...
Solução: Para este último caso, nada mais apropriado:

.
Caso algum de nossos leitores tenha algum problema de natureza afetiva, sexual ou financeira, e queira nossa consultoria, é só deixar um comentário... Fala, que a gente te escuta!

12 Comentários:

Abapha! disse...

Eu tinha um problema sério com ex...
Na época que Abílio era vivo nós brigávamos muito, e isso fazia o maldito parar de me sustentar. Então eu ia fazer uns atendimentos (o phamoso esquinão) e sempre, era uma desgraça isso, sempre a gente saía pra ter aquele phamoso jantar de reconciliação eu encontrava ex clientes e eles sempre vinham falar comigo... era chatíssimo!

FOXX disse...

e estar sempre sozinho, qual a dica de vcs?

Day ! disse...

poxa eu sou uma amiga ''racha '' e a quela dica maguou :/ (brinks)mas serio gente , pow da uma força ne se a amiga ta grudada é por q ta solteira e se a amiga gosta de rola da uma força pra ela ne !!

adorei o blog, muito divertido bjs .

Ricardo Aguieiras disse...

Bom, eu não curti esse post. Peço já, antecipadamente, o meu perdão aos dois perdidos que amo...
Vocês sabem minha admiração por vocês, mas tenho medo até de acabar brigando...
Sei o quanto o "politamente correto" pode cercear o humor, mas sei também que se fosse com a gente, com os gays, ninguém aprovaria humor com preconceito. Vide as grandes brigas que se vê nos blogs e em toda a net e a militância com esses programas humorísticos homofóbicos, que , acho, nenhum LGBT sensato gosta, eles disseminam o ódio e o preconceito.
Portanto, o primeiro vídeo ,em vez de me fazer rir, me deixou triste, por que me parece exploração do ser humano e rir com a miséria alheia. Não é legal, como eu posso pleitear algo, uma sociedade melhor, mais justa e solidária, se reproduzo outros preconceitos? Não entendo...
Dois: não gosto, também, da Silvetti, nunca entendi por que toda Drag tem que fazer , também esse tipo de humor, uma imita a outra, sem criatividade. O humor dela é baseado totalmente na humilhação do próximo e na misoginia, irmã gêmea do machismo. Ela humilha justamente aquele gay mais frágil, ingênuo , que teve o azar de ficar perto do palco onde ela se apresenta. Ela, na sua maldade fascista e misógina, passa o olho e percebe que aquele "gayzinho" não vai reagir e passa a humilhar o coitado e... infelizmente, os outros gays ficam rindo com a miséria alheia. Acho isso extremamente perigoso, prova que eu não posso exigir respeito algum, se não tenho respeito pelo próximo que, infelizmente, não tem as mesmas condições que eu de reagir...
Essa maldade gay, tão decantada, daria um outro post e deve suscitar muitos estudos.... acho que tem TUDO A VER COM HOMOFOBIA INTERNALIZADA, joga-se no outro a nossa dor interna....é meio absurdo e surreal que não percebam isso.
Eu penso que é perfeitamente possível fazer humor sem ser preconceituoso. Grandes humoristas, geniais, nunca fizeram uma única piada preconceituosa: Charles Chaplin; Buster Keaton e etc.
Quantos gays eu já vi na contradição de criticarem, muito irados , programas como Zorra Total ou CQC, pela homofobia explicita e ridicularização dos gays e depois irem aplaudir Silvetti( ou outra igual...), que ridicularizam os gays...
Infelizmente, o mundo já se esqueceu do humor gay dos Dzi Croquettes, por exemplo.. uma pena...
Desculpem, repito, mas não poderia deixar de me manifestar sobre isso. Tenho um amigo gay, psicanalista famoso, que está, inclusive estudando a maldade homossexual explicita nesses shows de drag's.
Perdão!
Ricardo
aguieiras2002@yahoo.com.br
http://dividindoatubaina.wordpress.com/

Wans disse...

Eu tb nunca tive problemas para arrumar namorado. Quer dizer, Melo é apenas meu 2º. Mas é complicado sim para algumas pessoas. Parece que algumas pessoas procuram perfeição no outro, mas ela não existe. Alexandre tinha todos os defeitos do mundo quando eu o conheci. Era puramente ligado a esse mundinho gay que eu odiava. Se eu tivesse virado a cara para isso, nunca teria encontrado o amor da minha vida.

Junnior disse...

Esse 'post' me fez lembrar uma história contada por um amigo numa mesa de bar que me fez chorar de rir.
Ele se autodefinia ativo e passivo, de boa, mas se encantou (sexualmente) com um cara que batia o pé pra dizer que era somente ativo e tals. No primeiro encontro, já passada a fase preliminar, os dois pelados na cama, aos beijos e o bofe finge uma crise de tosse. Ele se virou de costas pra tossir bastante e a cada esforço ia se encostando mais e mais. Enfim, meu amigo acabou achando aquilo também sensual e rolou daquele jeito mesmo, 'dis costa'.

Dois Perdidos na Noite disse...

Ricardo, o espaço aqui dos comentários é pra isso mesmo: comentar, dizer o que achou, o que pensa, discordar. No campo da postagem a gente escreve, aqui é com vocês. Não precisa pedir perdão por nada, ok?


Day! Nada contra a figura da "amiga racha", em geral são as pessoas mais tolerantes deste mundo. O que a gente comenta é que às vezes um acaba usando o outro como desculpa para não viver a própria vida. Aí ficam ambos literalmente "na mão"...

Junnior. É por essas e outras que eu também não acredito nessas de "sou 200% ativo"...

Wans. Concordo contigo. O pessoal fica esperando o ser perfeito chegar, em vez de ir se divertindo com os imperfeitos... e se esquece que também tem um montão de defeitos. Ficam trancados em casa esperando o príncipe encantado chegar - às vezes ele chega, mas você vai precisar pagar R$100,00.

Foxx. Estar sempre sozinho? Só tem uma explicação: o "problema" pode não estar nos outros, né? Como o Wans bem disse, às vezes a gente deixa de aproveitar as chances que a vida oferece, na expectativa de que o ser perfeito apareça. Dê uma chance aos cafuçus...

Anônimo disse...

Darling 01,

Já estava com saudades! Discordo do Ricardo (quem de antemão admiro). Mas acho muito chato as "minorias" terem de ser coladas num altar e de lá só sairem para ser louvadas! Se alguém simplesmente tropeça, já acho graça, se cair na minha frente, daí então KKKK... só penso em ajudar depois (antes tarde do que nunca)! O Wans está certíssimo.
Para o ciume: homem bonito, só para diversão, adoro um desprovido de beleza, sempre compensão!
Não consigo ficar sozinho, a vida é um porre, alguém tem que me surportar!

Anônimo disse...

Em tempo:

Alguém quer jogar truco valendo o toba? Serve a tuba também!

Paulo Braccini disse...

Muito bom este consultório ... rs

Este negócio de cara q se diz só ativo eu acho é graça ... biba gosta de rôla ... é da genética delas ... kkkk ... no fundo no fundo todas nós temos q buscar sermos versáteis e flex para não morrermos de fome ... este negócio de ser só ativo ou só passivo dá no q vcs disseram ... um monte de amgiguinhas de infortúnio ... rs

bjux

;-)

BSvox disse...

Amei o post.
Um dia ainda vou criar coragem e escrever no meu blog sobre a dificuldade da vida sexual gay, essa dificuldade de ativo/passivo e como a minha faceta proto hetero to pensando em comparar com um partida de futebol. Risos.

BSvox disse...

EX é sempre uma merda! Imagina quando ele sempre arranja menininhos de 18 anos? Imagina eu a bixa balzaquiana tendo que dividir as "enormes" boates e bares de Brasília com a criança?
Só com leque e muito bate cabelo! ALOCA. ou abrindo uma boceta com a gilete na cara do casal de Gnomos. Risos.

Postar um comentário

BLOG ENCERRADO!

We Love It:

We Love It:

Seguidores:

DPNN no Facebook

Twitter:

  ©Dois Perdidos Na Noite - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo