sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Gnomos nos Sinais de Fumaça, O Rolo Compressor e o Maridão de Uniforme

A vida tem umas coisas malucas. Ainda bem! Na quarta-feira, maridão e eu fomos ver o show do Ney Matogrosso. O show foi just ok, o cara canta muito mesmo, consegue alcançar todas aquelas notas registradas nos álbuns, mas achei a apresentação meio fria. Sei lá, por ser um show a céu aberto, com um público mais geral, talvez fosse melhor um “greatest hits” a um show de turnê do último álbum. Mas valeu ter ido, a única coisa chata foi ter de agüentar a maior concentração de pessoas fumando maconha que eu já vi. Não é moralismo, mas para mim, tem mais a ver com o ar de (pseudo)rebeldia que a coisa passa do que por necessidade real. Maridão e eu até chegamos à conclusão de que o melhor é liberar de vez, pois daí a coisa perde a graça e a gente vai poder ver um show em paz. E se o pessoal migrar pro crack, no máximo vão ficar caídos pelos cantos e não vão torrar nossa paciência. Acreditem, a gente presenciou a seguinte cena: dois caras pararam do nosso lado com uma bolsa cheia de maconha. Enrolaram trocentos baseados durante o show, não prestaram atenção a uma única música, e – acreditem, é verdade – passaram boa parte do show discutindo Kant em voz MUITO alta! Sim, Kant. Ou, a julgar pelo que diziam, o que eles imaginam que seja Kant. Maridão e eu saímos de lá e fomos para outro ponto, bem mais longe do palco, igualmente cercados pela fumaça do cigarrinho do capeta, mas pelo menos esses já estavam em outra dimensão e deixaram a gente ouvir o Ney Matogrosso.

Uma coisa tem nos intrigado nesta história de shows ao ar livre: tirando o show do New Order, em todos os outros o palco sempre é preconceituoso com os baixinhos – como esta dupla que vos escreve. Custa colocar o palco com um metro a mais de altura, poxa? Era quase impossível ver o Ney Matogrosso, e só havia um telão (na verdade, uma “telinha”) muito longe do palco, onde o som não chegava direito. Atenção organizadores de shows no Brasil: a população do país não tem média de 1,90m de altura, como vocês pensam.

Lá encontramos o Edu e o Mau, mas não tivemos a chance de nos apresentar a eles. Por um lado, foi bom, pois daríamos o maior fora. Não sabíamos do término do casamento deles (como assim você não sabe, é o maior bapho nas colunas sociais de blogsville). Mas eles são evoluídos e continuam amigos. se um dia eu terminasse com o maridão (ou vice versa – mas batam na madeira), do jeito de somos, a gente nunca seria amigo. Como eu comentei lá noFred, amigo conta pro outro sobre o cara superbacana-lindo-inteligente-rico-e-principalmente-bem-dotado que está pegando. Apenas num universo paralelo este tipo de diálogo seria possível entre nós dois. No mundo real, nosso término seria mais ao estilo do desenho do papa-léguas, com planos mirabolantes em que uma bola de metal de duas toneladas cairia na cabeça do outro e um rolo compressor passaria por cima – e daria ré, pra confirmar. E você, leitor: tem contato com os ex, dá pra manter a amizade?

Saindo de lá fomos ao Anhangabaú, onde estavam rolando os shows de música realmente popular brasileira: sertanejo, pagode, forró e ritmos do gênero (que a gente curte sem qualquer barreira musical, e se diverte muito). Estava igualmente lotado e só vimos o comecinho da dupla João Bosco & Vinicius, quando tocaram seu hit “Chora, me liga” (eu acho aquele solinho de acordeom sensacional). A produção dos caras é impecável, o palco dava de mil no do Ney Matogrosso, tudo muito profissional, no mesmo nível das atrações internacionais que a gente vê por aí. Parabéns pros caras. No quesito “voz” em si era injusto analisar depois do show do Ney Matogrosso, mas dentro do que é o gênero deles, maridão e eu achamos que não mandaram tão bem assim ao vivo.

Como era quarta-feira e no dia seguinte não era moleza (lembrem-se, ainda não ganhamos na megasena), atravessamos a Vieira (que estava muito, muito, muito lotada – e espero que o pessoal que estava ali pela primeira vez retorne) e fomos pegar a moto pra voltar pra casa. Cansados, mas satisfeitos com o programa.
Ps.O Ano do Dragão (meu signo no horóscopo chinês) já começou bem! Maridão prestou concurso público e acertou 90% das questões! Mas nem conto o melhor... ele vai usar um uniforme que é fetiche de 11 entre 10 gays – incluindo, é claro, este que vos fala...Já estou comemorando...mas isso é assunto pra outros posts...

Bom final de semana a todos! E façam como esta dupla: divirtam-se sem moderação!

11 Comentários:

FOXX disse...

eu sou amigo do meu único ex, mas ele precisou se afastar de mim por quase 2 anos pra conseguir ser meu amigo

Cores da Crise de meia idade! disse...

Casei com meu ex, então não sei!
Bjs

Ma disse...

Eu tbm sou dragão, hehehhehehe

E concurso pra que foi? Aeronáutica? O.O. Vai dar aulas no IME? hehehe

E ヅ disse...

Por enquanto sou amigo do meu ex. Vamos ver se dá certo, né? Sou novo nisso. :-)

Lobinho disse...

Nao sei o motivo,mas ex quando me vê, foge. kkkk.

Tenham um excelente fim de semana tb!

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

pois então ... eu não tenho paciência para shows em praças ... gosto de uma poltrona, de silêncio, estas coisas ... mas até vou ... mas aí é outra a dinâmica se é q me entende né? rs

Edu&Mau ... estou sofrendo de lerdeza e só hoje me dei conta do fato ... falei com ele ... para mim este lance de terminar com dignidade e se possível continuar amigo é coisa de maturidade ... eu e a marida em nossos 37 anos separamos aos 7 anos, ficamos separados por 9 meses, casamos de novo e estamos aí com nossa história ... se não tivéssemos mantido a proximidade talvez tivéssemos perdido a nossa chance de escrever nossa história ...

bjão

Anônimo disse...

O que seria da minha vida sem esse blog? Digo... sem a pessoa que esvreve isso? Pq eu confesso, seus posts e seus comentários nos blogs alheios sao os melhores, as vezes visito outros sites só para ler tua opiniao... eu rio horrores hahahahahaha

Nunca seria amigo de ex, ex é passado..... nao queria nada de ruim para ele, mas tambem nao seria o melhor amigo de infancia, me afastaria total!!

abracos.

Dan disse...

eu sou amigo de 1 dos meus 5 ex. Este vale por todos.
E surpreendentemente descobri que isso sim, é possível!!

bjo querido!
:D

Anônimo disse...

Esse teu "maridão" é um talento!
Concurso literário,concurso público! Meu deus...
Só falta você dizer que ele é bem-dotado! Daí eu quero material genético para criar um clone!

Amo vocês!

Lekiss disse...

Meninos, que tour eclético...acredito que tudo tem um lado bom...apesar do ruim....rsrsrrs
Deixem o povo se drogar...ao menos ficam doidões,logo somem e param de atrapalhar...kkk
Amigo de Ex não dá certo...primeiro por ciumes e desconfiança, depois pq ex é ex e longe de min...passou e figurinha repetida não completa álbum...
Menino...Fardas deve ser muito interessante esse post...caprixa !!!

Fernando Munhoz disse...

Que meninos baladeiros meu Deus! Se eu morasse em cidade grande... ia fazer isso sempre! Acho que esse negócio de fumar maconha em show, no meio do público super desagradável. No show da Kylie Minogue em 2008, dentro do forno que é o Credicard Hall, tinha umas colocadas malditas se acabando... Fiquei muito puto! Não sou contra o uso de drogas, quem quiser fazer isso, que se acabe, mas, sou a favor do bom senso, só.
Beijos

Postar um comentário

BLOG ENCERRADO!

We Love It:

We Love It:

Seguidores:

DPNN no Facebook

Twitter:

  ©Dois Perdidos Na Noite - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo